A “DESCENTRAÇÃO” DO SUJEITO E A FUNÇÃO SOCIAL DO ENSINO RELIGIOSO PARA A FORMAÇÃO DAS NOVAS GERAÇÕES EM TEMPOS PÓS-MODERNOS

Karla Alexandra Dantas Freitas Estrela

Resumo


Este é um ensaio reflexivo sobre a função social da escola diante das mudanças referentes à constituição das identidades dos sujeitos e a centralidade da cultura em tempos pós-modernos e os conflitos geracionais ocasionados por esse movimento. A grande problemática paira sobre como a escola pode contribuir para minimização da intolerância e o preconceito existentes nas relações entre os jovens durante esse processo de formação identitária, advindos das diferenças culturais. Fundamentadas em Forquin, Veiga-Netto e Hall, tecemos uma discussão sobre como a escola, enquanto espaço social, pode promover debates sobre a diversidade que contribuam para a minimização do preconceito e da intolerância através de diálogos que possibilitem o entendimento das diferenças e a importância da história do outro (diferente) para sua própria constituição identitária. Considerando que as escolas não oferecem espaço, em sua maioria, para as discussões sobre Ética e Pluralidade Cultural podemos considerar o Ensino Religioso (em sua nova perspectiva conforme a LDB 9394/96) como caminho para construção desse pilar, quando proporciona diálogos sobre a existência humana, o fenômeno religioso e seu impacto sobre o social onde estes alunos vivem? Estudos como os de Junqueira e Benicá defendem que sim, mesmo diante da dita laicidade do Estado, justificando que, a partir das discussões antropológicas e históricas das religiões e do diálogo, é possível alcançar a minimização dos preconceitos e da intolerância.


Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, D. A. C. (2009) Pedagogia histórico-crítica: proposição teórico metodológica

para a formação continuada. An. Sciencult, v.1, n.1, Paranaíba, p. 352-359.

BAUMAN, Z. (1998) O Mal-Estar da Pós-Modernidade. Tradução: Mauro Gama e

Claúdia Matinelli Gama. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed.

_______________. (2000) Em busca da Política. Tradução: Marcus Penchel. Rio de

Janeiro: Jorge Zahar Ed.

_________________. (2015) Disponível em:

https://www.youtube.com/watch?v=gc-LXLIwOFs. Acesso em 20/08/2015.

BERGER, P. L. (2013) O Dossel Sagrado: elementos para uma teoria sociológica da

religião. 9ª reimpressão. São Paulo: Paulus.

BOBBIO, N., MATTEUCCI, N. &PASQUINO, G. (1998) Dicionário de Política. 11.

ed. Vol. I. Brasília: Editora UnB.

BEZERRA, T. C. E. (2007) Modernidade e Pós-modernidade: uma abordagem

preliminar. Revista Textos e Debates. Ed UFRR. Vol. 2, n. 13.

CARDOSOS, C. M. (2003). Tolerância e seus limites: um olhar latino-americano sobre

diversidade e desigualdade. São Paulo: editora UNESP.

DUSSEL, E. (1993) O encobrimento do outro: a origem do mito da modernidade.

Petrópolis: Vozes.

ESTRELA, K. A. D. F. (2016) Ensino Religioso e diálogo na escola: um estudo sobre a

reconstrução/ressignificação histórica da disciplina a partir do conceito pós-estruturalista de identidade na cidade de João Pessoa. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Educação) – Universidade Federal de Pernambuco, Centro de Educação. Disponível em: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/18067

FORQUIN, J. (2003) Relações entre gerações e processos educativos: transmissões e

transformações. Congresso Internacional Co-Educação de Gerações. SESC: São Paulo.

HALL, S. (2011) A Identidade Cultural na Pós-Modernidade. Tradução de Tomaz

Tadeu da Silva e Guacira Lopes Louro. 11. ed. Rio de Janeiro: DP&A.

MEIRELLES, S. (2013) Informalidade nas relações de trabalho: uma expressão

imediata da flexibilização dos modos de produção. III Simpósio Mineiro de assistentes sociais.CRESS: Belo Horizonte.

NOVAES, A. M. (2007) A Ciência na Pós-Modernidade: a falência das metanarrativas e

suas implicações na construção do paradigma científico contemporâneo. Revista UNASP. V.1. Nº 12. p.9-21.

OLIVEIRA, A. M. (2007) Preconceito, Estigma e Intolerância Religiosa: A prática da

tolerância em sociedades plurais e em Estados multiculturais. Estudos de Sociologia. In Revista do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da UFPE, v. 13, n. 1, p. 239-264.

SANTOS, B. S. (2002) Introdução a uma Ciência Pós-Moderna. 6ª ed. Edições

Afrontamento: Porto.

SANTOS, G. M. (2012) Trabalho na Modernidade: sociedade de risco e desrespeito aos

direitos sociais e econômicos dos trabalhadores. VII Congresso Português de Sociologia. Universidade do Porto.

SANTOS, J. F. (2014) O que é Pós-Moderno. Coleção Primeiros Passos. São Paulo:

Brasiliense.

VEIGA-NETO, A. (2003) Cultura, culturas e educação. Revista Brasileira de Educação.

WEBER, M. (2006) Sociologia das Religiões. Relógio D’Água Editores.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A REIN - REVISTA EDUCAÇÃO INCLUSIVA ESTÉ INDEXADA EM:

LATINDEX

ACTUALIDAD IBEROAMERICANA