Movimentos de Ir e Vir entre a Feira e a Academia: Aspectos Etnomatemáticos da Posicionalidade de um Feirante

Milton Rosa, Diego Pereira de Oliveira Cortes, Daniel Clark Orey

Resumo


Nesse artigo teórico, discutiremos os conhecimentos matemáticos êmicos de um feirante durante o desenvolvimento de suas práticas laborais de comercialização de produtos hortifrutigranjeiros. Outro objetivo importante é discutir como essas práticas podem enriquecer os conceitos matemáticos desenvolvidos no ambiente escolar. Ressaltamos que os dados empíricos utilizados nesse trabalho foram obtidos com a condução de uma pesquisa de Mestrado Profissional em Educação Matemática, cuja dissertação intitulada Re-significando os conceitos de função um Estudo Misto para entender as contribuições da Abordagem Dialógica da Etnomodelagem, que foi realizada na Universidade Federal de Ouro Preto. A fundamentação teórica apoiamos principalmente nos estudos de Etnomodelagem desenvolvidos por Rosa e Orey (2012), na concepção de posicionalidade de D’Olne Campos (2000) e, também, no Programa Etnomatemática como proposto por D’Ambrosio (1990). Nesse sentido, as pesquisa em etnomodelagem podem possibilitar uma interação entre os conhecimentos desenvolvidos fora (feirante) e dentro da escola (alunos), ampliando as visões de mundo por meio do respeito mútuo e da valorização das diferenças culturais.


Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, G. M. As contribuições da etnomatemática e da perspectiva sociocultural da história da matemática para a formação da cidadania dos alunos de uma turma do 8.º ano do ensino fundamental por meio do ensino e aprendizagem de conteúdos da educação financeira. 2014. Dissertação (Mestrado Profissional Educação Matemática). DEMAT/ICEB. Ouro Preto, MG: UFOP, 2014.

BANDEIRA, F. A. Etnomatemática dos horticultores de Gramorezinho: O caso do par de cinco. Etnomatemática e práticas profissionais. Coleção Introdução à Etnomatemática. Volume 3. Natal, RN, 2004.

BASSANEZI, R. C. Ensino-aprendizagem com modelagem matemática. São Paulo, SP: Editora Contexto, 2002.

BIEMBENGUT, M. S. Modelagem e etnomatemática: pontos (In) comuns. In: DOMITE, M. C. S. (Ed.), Anais do Primeiro Congresso Brasileiro de Etnomatemática - CBEm1. Faculdade de Educação. São Paulo, SP: USP, 2000. pp. 132-141.

CORTES, D. P. O. Re-significando os conceitos de função: um estudo misto para entender as contribuições da abordagem dialógica da Etnomodelagem. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação Matemática). Instituto de Ciências Exatas e Biológicas - ICEB. Departamento de Educação Matemática- DEEMA. Ouro Preto, MG: UFOP. 2017.

D’AMBROSIO, U. Etnomatemática. São Paulo, SP: Editora Ática, 1990.

D’AMBROSIO, U. Ação pedagógica e etnomatemática como marcos conceituais para o ensino de matemática. In: BICUDO, M. A. V. (Org.). Educação Matemática. São Paulo, SP: Moraes, 1994.

D’AMBROSIO, U. Etnomatemática: elo entre as tradições e a modernidade. Belo Horizonte, MG: Autêntica, 2001.

D’AMBROSIO, U. Etnomatemática e educação. In: KNIJNIK, G.; OLIVEIRA, C. J.; WANDERER, F. (Orgs.). Etnomatemática: currículo e formação de professores. Santa Cruz do Sul, RS: Editora EDUNISC, 2005. pp. 39-52.

D’AMBROSIO, U. Um enfoque transdisciplinar à educação e à história da matemática. In: BICUDO, M. A. V.; BORBA, M. C. (Org.). Educação matemática: pesquisa em movimento. 4ª Ed. São Paulo, SP: Cortez, 2012.

D’OLNE CAMPOS, M. “Esta aqui” e “Estar lá”: tensões e intersecções com o trabalho de Campo. In: DOMITE, M. C. S. (Ed). Anais do Primeiro Congresso Brasileiro de Etnomatemática – CBEm1. São Paulo, SP: FE-USP, 2000. pp.117-131.

D’OLNE CAMPOS, M. Etnociência ou etnografia de saberes, práticas e técnicas? In: AMOROZO, M. C. M.; MING, L. C.; SILVA, S. M. P. S. Métodos de coleta e análise de dados em etnobiologia e etnoecologia e disciplinas correlatas. Rio Claro, SP: UNESP, 2002. pp. 47 -91.

GRIJÓ, D. R. Práticas sociais e matemática: uma proposta transdisciplinar em uma escola rural de Paty do Alferes. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós- Graduação Stricto Sensu Mestrado Profissional em Educação Matemática. Vassouras, RJ: Universidade Severino Sombra, 2011.

JIMÉNEZ ESPINOSA, A. Quando professores de matemática da escola e da universidade se encontram: re-significação e reciprocidade de saberes. 2002. (Tese de Doutorado). Faculdade de Educação. Campinas, SP: UNICAMP. 2002.

KNIJNIK, G. Alfabetização de jovens e adultos: educação matemática. Caderno de Educação. N. 5. São Paulo, SP: Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) – Setor de Educação, 1997.

MONTEIRO, A.; POMPEU JR., G. A matemática e os temas transversais. São Paulo, SP: Editora Moderna, 2001.

PIKE, K. L. Emic and etic standpoints for the description of behavior. Glendale, IL: Summer Institute of Linguistics, 1954.

ROSA, M. A mixed-methods study to understand the perceptions of high-school leaders about ELL students: the case of mathematics. College of Education. (Tese de Doutorado não publicada). Sacramento, CA: California State University, Sacramento (CSUS). 2010.

ROSA, M; Aspectos de insubordinação criativa nas pesquisas em etnomatemática. In: D’AMBROSIO, B. S; LOPES, C. S (Orgs.). Vertentes da subversão na produção científica em educação matemática. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2015. pp. 325-346.

ROSA, M; OREY, D. C. Vinho e queijo: etnomatemática e modelagem! BOLEMA, v. 16, n. 20, p. 1-16, 2003.

ROSA, M.; OREY, D. C. Abordagens atuais do programa etnomatemática: delineando um caminho para a ação pedagógica. BOLEMA, v. 19, n. 26, p. 19-48, 2006.

ROSA, M.; OREY, D. C. Alho e sal: etnomatemática com modelagem. Perspectivas da Educação Matemática, v. 2, n. 4, p. 149-162, 2010.

ROSA, M; OREY, D. C. O campo de pesquisa em etnomodelagem: as abordagens êmica, ética e dialética. Educação e Pesquisa, v. 38, n. 4, p. 865-879, 2012.

ROSA, M; OREY, D.C. Interlocuções polissêmicas entre a etnomatemática e os distintos campos de conhecimento etno-x. Educação em Revista, v. 30, n. 3, p. 63-97, 2014.

ROSA, M., OREY, D. C. Etnomodelagem: a arte de traduzir práticas matemáticas locais. São Paulo, SP: Editora Livraria de Física, 2017a.

ROSA, M; OREY, D.C. Posicionalidade em pesquisas em etnomatemática: discutindo os movimentos de ir e vir entre o campo e a academia. Revista Latinoamericana de Etnomatemática, v. 10, n. 3, p. 233-255, 2017b.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES
 
 
http://www.citrevistas.cl/actualidad/b2b_g8.htm
 
 
http://diadorim.ibict.br/
 
 
 
https://oei.org.br/