UM EXEMPLO DA RIQUEZA ETNOMATEMÁTICA DE ANGOLA: AS ARMADILHAS DE CAÇADORES DO SUL DE ANGOLA

Simão Pedro Mateus Selezi, Jaime Carvalho Silva

Resumo


É defendido por vários autores que a valorização da Matemática presente nos ambientes culturais das populações contribui para melhorar a relação dos alunos, dos professores e da população em geral com a Ciência Matemática, ajudando na melhoria da resolução de problemas de Matemática na escola e ligando a Matemática escolar com a vida real. O presente artigo visa explorar e valorizar a Matemática presente em “Zagaias” usadas na caça que, astutamente, o grupo étnico Ngangela, do sul de Angola, usa com muita frequência. Pretendemos, com este estudo de cunho etnomatemático, evidenciar a riqueza matemática que se encontra, indubitavelmente, imersa numa Zagaia e no seu uso comum. Pretendemos despertar as comunidades, em particular da Região Sul de Angola, para que tenham uma melhor noção da relevância que a Matemática dispõe na vida real, e mesmo, promover o enorme entusiasmo potencial pela Ciência Matemática e estabelecer o equilíbrio entre a matemática espontânea e a matemática académica ou escolar. Com os resultados obtidos, na investigação, propomos tarefas matemáticas envolvendo os saberes matemáticos identificados.  

 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES
 
 
http://www.citrevistas.cl/actualidad/b2b_g8.htm
 
 
http://diadorim.ibict.br/
 
 
 
https://oei.org.br/