Qualidade do ar da cidade de Campina Grande-PB, por meio do método spore-fall

Bruna Regina dos Santos Silva, Antonio Manoel da Silva Filho, Renata Priscila Almeida Silva, Carlos Henrique Salvino Gadelha Meneses

Resumo


Leveduras do filoplano são susceptíveis a uma grande variedade de variações ambientais, tais como poluição do ar urbano e industrial. Pesquisas de qualidade do ar usando leveduras foliares como bioindicadores são pouco realizados no Brasil. Ao utilizar o método da queda de esporos, populações de leveduras foliares foram pesquisadas a partir da filosfera de Tabebuia sp., espécie de árvores de grande propagação em ambientes urbanos do Brasil. Dois locais da cidade de Campina Grande-PB foram selecionados, representando alto nível de poluição (Centro da cidade) e ar de boa qualidade (viveiro de plantas da UEPB), folhas das árvores foram coletadas no inverno e no verão de 2012 e 2013. Os resultados demonstraram contagens mais baixas de leveduras foliares para a área urbana indicando que estas leveduras são sensíveis aos poluentes do ar, especificamente para dióxido enxofre. A maioria das leveduras isoladas pertencia à espécie Sporobolomyces roseus, uma espécie basidiomiceto. Outras leveduras balistosporos, colônias das quais eram tipicamente brancas, foram raramente isolada pelo método utilizado (<5%). Os resultados podem ter validade para outras áreas tropicais onde os estudos devem ser abordados ao prático uso de leveduras foliares como bioindicadores para monitoramento da qualidade do ar.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.