PREVALÊNCIA E CONTROLE DE VETORES DA DOENÇA DE CHAGAS NA PARAÍBA

Ísis Lins, Gustavo Moura, Josimar Medeiros

Resumo


O Trypanosoma cruzi é o agente etiológico da Doença de Chagas, que é transmitida ao homem basicamente através do contato com as fezes e urinas de triatomíneos (barbeiros), no interior de habitações. Os barbeiros têm sido encontrados preferencialmente nos quartos, junto às camas, escondidos em entulhos deixados em cantos de paredes, em galinheiros, chiqueiros e, principalmente, em todas as rachaduras de paredes. Apesar do intenso combate e da grande eficácia do controle químico contra o barbeiro ter conseguido reduzir o número de indivíduos acometidos pela doença, observa-se ainda um grande número de pessoas infectadas pelos triatomíneos a cada ano. O objetivo deste trabalho foi verificar a prevalência de triatomíneos em Campina Grande e municípios circunvizinhos, atendidos pela Fundação Nacional de Saúde, no ano de 2010. Foi realizado um estudo transversal e descritivo, de caráter documental, na Superintendência Estadual da Fundação Nacional de Saúde em Campina Grande. Em diversos municípios paraibanos foram encontrados vetores da Doença de Chagas. O que apresentaram o maior índice de infestação foram Gurjão, Taperoá e Juazeirinho. A espécie mais prevalente foi Triatoma pseudomaculata, seguida por Triatoma brasiliensis e Panstrongylus lutzi. Observou-se um baixo índice de infestação de triatomíneos nas residências, mas se faz importante manter a vigilância epidemiológica de forma eficiente e duradoura, com capacidade de controlar o crescimento populacional dos triatomíneos e, consequentemente, da Doença de Chagas, na intenção de acabar o contágio humano com Trypanosoma cruzi nas unidades domiciliares.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.