EPIDEMIOLOGIA DOS ACIDENTES POR ARANHAS NO PERÍODO DE 2002 A 2011 NO ESTADO DO CEARÁ

Aline de Lima Braga, Petronio Emanuel Timbó Braga

Resumo


Acidentes causados pelas aranhas são comuns, mas a maioria não apresenta sintomas clínicos, embora, no Brasil, existam aranhas, que pode causar intoxicação para os seres humanos.  Este estudo teve como objetivo apresentar o número de acidentes causados por aranhas ocorridos no Estado do Ceará, no período de 2002 a 2011, a partir de dados coletados no Sinan (Sistema de Informação de Notificação do Sistema Agravos) do Ministério da Saúde, visando contribuir para a melhoria da informação prestada sobre acidentes causados por este artrópode. Observou-se que os casos notificados de acidentes causados por aranhas no Estado do Ceará estão associados com os gêneros: Loxosceles (aranha marrom), Phoneutria (armadeira Aranha) e Latrodectus (viúva-negra), além de outras espécies não identificadas, com predomínio de casos leves e com a maior ocorrência nos municípios de Fortaleza, Russas, Limoeiro do Norte e Sobral.

Palavras-chave


Araneísmo. Saúde Pública.Vigilância epidemiológica.

Texto completo:

PDF

Referências


BENSEÑOR, I.; LOTUFO, P. HowStuffWorks, Acidentes por animais peçonhentos: aranhas. 2008. Disponível em: . Acesso em: 22 ago 2011.

BRASIL. Acidentes por animais peçonhentos – aranhas. 2012(a). Disponível em: . Acesso em: 25 set 2012.

BRASIL. Ministério da Saúde. Fundação Nacional da Saúde. Acidentes por animais peçonhentos – aranhas. 2012(b). Disponível em:

BRASIL. Ministério da Saúde. 2011(a). Sistema de Informação de Agravos de Notificação-Sinan-Net. Disponível em: . Acesso em: 25 set 2012.

BRASIL. Ministério da Saúde. 2011(b). Glossário, Acidentes com Aranhas. Disponível em: . Acesso em: 22 ago 2011.

BRASIL. Ministério da Saúde. Fundação Nacional da Saúde. 1998. Manual de diagnóstico e tratamento de acidentes por animais peçonhentos. Brasília. Disponível em: . Acesso em: 25 set 2012.

BRASIL. Ministério da Saúde. Fundação Nacional de Saúde. 2001. Manual de diagnóstico e tratamento de acidentes por animais peçonhentos. 2.ed. Brasília: Fundação Nacional de Saúde, 2001. Disponível em: . Acesso em: 22 ago 2011.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. 2010. Boletim eletrônico epidemiológico. Ano 10, n° 2. Disponível em: . Acesso em: 02 set 2011.

CANTER, H. M. Apostila série didática Instituto Butantan. São Paulo: Divisão de Desenvolvimento Cultural. 2006.

CARDOSO, J. L. C. Introdução ao estudo dos acidentes por animais peçonhentos. In: Schvartsman S. Plantas venenosas e animais peçonhentos. São Paulo: Sarvier. 1992. p.139-42.

CEARÁ. Ipece-Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará. Ceará em números 2013. Disponível em: . Acesso em: 14 nov 2015.

CHENET, D. C.; WOLFART, S. C.; FERRUZZI, P.; QUADROS, R. M. DE; MARQUES, S. M. T. Incidência de aranhas de importância em saúde pública em Curitibanos, Santa Catarina. Revista Ciência & Saúde, v. 2, n.1, p. 25-29, 2009.

FREZZA, R. M. Atendimento fisioterapêutico após cirurgia reparadora de lesões por aranha marrom: relato de caso. Revista Brasileira Promoção Saúde, v.20, p.133-40, 2007.

HICKMAN, C. P.; ROBERTS, L. S.; LARSON, A. Princípios integrados de zoologia. 11.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. 2004. 846p.

LEMOS, J. DE C.; ALMEIDA, T. D. DE; FOOK, S. M.L.; PAIVA, A. DE A.; SIMÕES, M. O. S. Epidemiologia dos acidentes ofídicos notificados pelo Centro de Assistência e Informação Toxicológica de Campina Grande, PB. Revista Brasileira Epidemiologia, v.12, n.1, p.50-59, 2009.

SOERENSEN, B. Acidentes por animais peçonhentos: reconhecimento, clínica e tratamento. São Paulo: Atheneu. 2000. 138p.

WILLE, A. C. M.; FRANCO, C. R. C.; VEIGA, S.S. Estudos dos efeitos citotóxicos do veneno de Loxosceles intermedia e de toxinas recombinantes sobre células subendoteliais. 2006. (Dissertação). Programa de Pós-Graduação em Biologia Celular e Molecular. Universidade Federal do Paraná. 87p.

WOLFART, S. C.; CHENET, D. C.; QUADROS, R. M. DE; FERRUZZI, P.; MARQUES, S. M. T. Epidemiologia de acidentes araneídeos de interesse em Saúde Pública em Curitibanos, Santa Catarina (2006-2008). Revista Ciência & Saúde, v. 2, n. 1, p.30-36, 2009.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.