TECNOLOGIAS SOCIAIS VOLTADAS PARA O DESENVOLVIMENTO DO SEMIÁRIDO BRASILEIRO

Nadja Gláucia de Melo Souza, Jeneilson Alves da Silva, Josemir Moura Maia, Jairo Bezerra Silva, Edivan da Silva Nunes Júnior, Carlos Henrique Salvino Gadêlha Meneses

Resumo


As tecnologias sociais desenvolvidas para convivência com o semiárido crescem e na medida em que têm sua eficácia comprovada elas fortalecem o homem do campo, garantindo assim uma melhor qualidade de vida. O acesso e disponibilidade de água para famílias que residem nas regiões semiáridas do Brasil está aumentando através da captação, armazenamento e conservação da água da chuva, reutilização de águas residuárias, das políticas públicas, de projetos de pesquisa e extensão ou da ação de Organizações Não Governamentais. Existem várias tecnologias em uso voltadas para atender o semiárido brasileiro, porém não são do conhecimento de todos, tornando essas inovações inacessíveis para algumas pessoas. Com o objetivo de divulgar e esclarecer a funcionalidade de algumas dessas tecnologias, foi realizado um levantamento bibliográfico com as cinco principais tecnologias funcionais voltadas à agricultura familiar com enfoque na disponibilidade de água potável, tais como as cisternas, destiladores solar, fossas sépticas, barragens subterrânea e bioágua. Estas tecnologias vêm transformando o modo de vida e garantindo a permanência dos agricultores familiares nessa região, permitindo que os mesmos produzam alimentos para o sustento da família, comercialização e alimentação animal.


Palavras-chave


tecnologias sociais; desenvolvimento regional; agricultura familiar

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE NETO, C. O. Proteção sanitária das cisternas rurais. In: SIMPÓSIO LUSOBRASILEIRO DE ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL, 11., 2004, Natal, RN. Anais. Natal, RN: ABES: APESB: APRH, 2004.

ANJOS, S. Tecnologias e Projetos para Conviver com o Semiárido. Disponível em: < http://www.insa.gov.br/wp-content/uploads/2013/05/O-Povo-II.pdf >. Acesso em: jan. 2016.

ARAÚJO, A. L. de; KÖNIG, A.; MILANÊZ, J. G.; CEBALLOS, B. S. O. de. Reuso indireto de esgotos na irrigação de colunas experimentais de solo cultivadas com alface (Lactuca sativa, L.). In Anais do 20º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental, Rio de Janeiro, 1999.

ASABRASIL. Programa Uma Terra e Duas Águas. Disponível em: < http://www.asabrasil.org.br/acoes/p1-2 >. Acesso em: jan. 2016.

BOUKAR, M.; HARMIM, A. Effect of climate conditions on the performance of a simple basin solar still: a comparative study. Desalination, v.137. Adrar, Algérie, p. 15-22. 2001.

BRASIL. Conselho Nacional do Meio Ambiente. Resolução n° 357, de 17 de março de 2005. Disponível em: Acesso em: 15 de outubro de 2015.

CUNHA MELO, L. R. Variação da qualidade da água de chuva no início da precipitação. 2007. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2007.

DE OLHO NO CARIRIR. Disponível em: Acesso em 15 de outubro de 2015.

DIAS, Genebaldo. F. Educação ambiental: princípios e práticas. 9.ed. São Paulo: Gaia, 2004.

DILLINGHAM, R.; BERN, C.; GUERRANT, R. L. Childhood stunting: measuring and stemming the staggering costs of inadequate water and sanitation. The lancet, London, v. 363, n. 9403, p. 94-95, 2004.

DUARTE, R. S. O Estado da Arte das Tecnologias para a Convivência com as Secas do Nordeste. Fortaleza: BNB; Recife: Fundação Joaqui Nabuco, v. 6,2002.

ECO DEBATE. Disponível em: Acesso em 15 de outubro de 2015.

EMBRAPA – Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Fossas Sépticas Biodigestoras em Sistemas Agrícolas Familiares na Borda Oeste do Pantanal. 2010.

INSTITUTO NACIONAL DO SEMIÁRIDO. Disponível em: Acesso em 22 de novembro de 2015.

KOBIYAMA, M.; MOTA, A. A.; CORCEUIL, C. W. Saneamento rural. In: Seminário Saneamento Ambiental, Rio Negrinho: ACIRNE, Anais. CD-ROM. 24p. 2008.

MALVEZZI, Roberto. Semiárido – uma visão holística. Brasília: Confesa, 2007.

MIKHAIL, M. Como cultivar um futuro sustentável. In.: Estado do mundo 2012: Rumo à prosperidade sustentável. Org. por ASSADOURIAN, E. e RENNER, M. Worldwatch Institute. Salvador, BA. 2012. 288 p. 2012.

NOVAES, H.M.D.; BRAGA, P.E.; SCHOUT, D. Fatores associados à realização de exames preventivos para câncer nas mulheres brasileiras, PNAD 2003. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v.11, n.4, p. 1023-1035, 2006.

OLIVEIRA, V.H. de; PARENTE, J.I.G.; SAUNDERS, L.C.U. Irrigação em cajueiro anão precoce: uma perspectiva promissora. Revista Frutar, Fortaleza, v.1, n.1, p. 4-5, 1995.

PAPINI, S.; ANDRÉA, M. M. Ação de minhocas Eisenia foetida sobre a dissipação dos herbicidas simazina e paraquat aplicados no solo. Rev. Bras. Ciênc. Solo, v.28, n.1, Viçosa, 2004.

PROJETO DOM HELDER. Disponível em: Acesso em: 15 de outubro de 2015.

REBOUÇAS, A. C.; BRAGA, B.; TUNDISI, J. G. Águas Doces no Brasil: capital ecológico, uso e conservação. 2.ed., São Paulo: Escrituras, 2002.

REVISTA CISTERNA. Disponível em: Acesso em 22 de novembro de 2015.

SANTIAGO, F. dos S.; RIBEIRO, G. A.; NANES, M. B.; FREITAS, R. R. L.; ALBUQUERQUE, F. A. de; MONTENEGRO, S. M. G. L.; MONTENEGRO, A. A. A.; SILVA, N. C. G. da; BLACKBURN, R. M. Desempenho de sistema de irrigação por gotejamento no Sertão do Apodi – RN. In: Congresso Nacional de Irrigação e Drenagem, XXIII. Cascavel, 2012

SILVA, M. S. L. da; MENDONÇA, C. E. S.; ANJOS, J. B. dos; HONÓRIO, A. P. M.; SILVA, A. de S.; BRITO, L. T. de L. Barragem subterrânea: água para produção de alimentos. In: BRITO, L. T. de L; MOURA, M. S. B. de; GAMA, G. F. B. (Org.). Potencialidades da água de chuva no Semiárido brasileiro. Petrolina-PE: Embrapa Semiárido. p. 121-137. 2007.

TIWARI, A. K., & TIWARI, G. N. Thermal Modeling Based on Solar Fraction and Experimental Study of the Annual and Seasonal Performance of a Single Slope Passive Solar Still: The Effect of Water Depths. Desalination, 207, 184-204. 2007.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.