PERFIL FARMACOTERAPÊUTICO DE PORTADORES DE HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA

Débora Santos Dantas, Anderson Fellyp Avelino Diniz, Edvaldo Balbino Alves Junior

Resumo


O trabalho teve como objetivo traçar o perfil farmacoterapêutico de portadores de HAS. Foi um estudo documental e analítico com abordagem quantitativa e descritiva e aconteceu de agosto a outubro de 2012, no Serviço Municipal de Saúde, em Campina Grande-PB. Dos 97 hipertensos (79%) pertenceram ao gênero feminino com idade média de 65 anos enquanto que o gênero masculino foi de 75 anos. A média da Pressão Arterial Sistólica e da Pressão Arterial Diastólica demonstrou um controle dos níveis pressóricos resultando na classificação da pressão em Ótima, Normal e Limítrofe. A maioria realizava terapia mista e utilizava Diuréticos, Inibidores da Angina Conversora da Angiotensina, Inibidores Adrenérgicos e Bloqueadores de Canais de Cálcio. Registrou-se Resultados Negativos a Medicamentos RNM’s sendo a Insegurança não quantitativa o principal tipo. Verificou-se que os hipertensos em sua maioria conseguiram obter um controle da Pressão Arterial, no entanto, torna-se necessário por parte dos profissionais de saúde um olhar mais atencioso a esses pacientes, que são cada vez mais numerosos e requerem cuidados específicos.


Palavras-chave


Hipertensão; Medicamentos; Anti-hipertensivos.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, J. P.; BOAS, F.; CHAGAS, H.; ANDRADE, M.; Aspectos epidemiológicos da aderência ao tratamento da hipertensão arterial sistêmica. Arq Bras Card. n. 4, v. 79, p. 375-379, 2002.

BRASIL, Ministério da Saúde. Hipertensão Arterial Sistêmica. Caderno de Atenção Básica. Brasília: MS. n. 15. Série A, Brasília: MS, 2006.

CARVALHO, W. A. de. Analgésicos, Antipiréticos e Antiinflamatórios. In: SILVA, Penildon. Farmacologia. 5ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan S/A, 1998. p. 392.

COMITÊ DE CONSENSO. Terceiro consenso de Granada sobre Problemas Relacionados com Medicamentos e Resposta Negativa Associada a Medicamentos. Ars Pharm. Granada. n 1, v. 48, p. 5-12, 2007.

DADER, M. J. F.; MUÑOZ, P. A.; MARTINEZ, F. M. Atenção Farmacêutica: Conceitos, processos e casos práticos. São Paulo: RCN, 2008. 246 p.

ESPÓSITO, M. C.; BOAS, O. M. G. C. V. Avaliação do uso de medicamentos anti-hipertensivos na rede ambulatorial de Alfenas – 2001. [Dissertação] Alfenas: Escola de Farmácia e Odontologia de Alfenas, 2001.

HERMANSEN K. Diet, blood pressure and hypertension. Br J Nutr. n. 1, s. 83, p. 113-119, 2000.

KOROLKOVAS, A.; FRANÇA, F. F. de A. C. Dicionário Terapêutico Guanabara. 16ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan S/A, 2011-2012. p. 8.6.; 8.15; 8.25.

LEWINGTON, S.; CLARKE, R.; QIZILBASH, N.; PETO, R.; COLLINS, R. for the Prospective Studies Collaboration. Age-specific relevance of usual blood pressure to vascular mortality: a meta-analysis of individual data for one million adults in 61 prospective studies. Lancet. n. 360, p. 1903-1913, 2002.

PASSOS, V. M. de A.; ASSIS, T. D.; BARRETO, S. M. Hipertensão arterial no Brasil: estimativa de prevalência a partir de estudos de base populacional. Rev Epidemiologia e Serviços de Saúde. n.1, v. 15, p. 35-45, 2006.

SBC, Sociedade Brasileira de Cardiologia. V Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial. São Paulo: Elsevier, 2006. 48p.

SBC, Sociedade Brasileira de Cardiologia. VI Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial. Rev Bras de Hip. n. 1, v. 17, 64p, jan/mar, 2010.

SILVA, P. R.; GUIMARÃES, I. C. B.; GUIMARÃES, A. C. Farmacologia da angina do peito. IN: SILVA, Penildon. Farmacologia. 5ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan S/A, 1998. p. 613.

VERONEZ, L. L.; SIMÕES, M. J. S. Análise da prescrição de medicamentos de pacientes hipertensos atendidos pelo SUS da rede municipal de saúde de Rincão – SP. Rev Ciênc Farm Bas Apl. n.1, v. 29, p. 45-51, 2008.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.