ESTUDO DE POLIMORFOS E CO-CRISTAIS NO DESENVOLVIMENTO DE MEDICAMENTOS: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

Laryssa Mirelle da Silva, Cristina Kelly Toscano Gaião, Demis Ferreira de Melo, Wesley Castro da Silva, Danielle Gomes de Oliveira, Davidson Marrony Santos Wanderley, Lidiane Pinto Correia, Rosemary Sousa Cunha Lima

Resumo


A eficácia terapêutica dos fármacos administrados por via oral sólida está relacionada com seu arranjo cristalino, o qual reflete em taxas de dissolução e biodisponibilidade diferentes. A solubilidade dos medicamentos é influenciada pelo polimorfismo e co-cristalização, sendo apontada como um dos principais desafios da indústria na fabricação de novos fármacos ou mesmo de fármacos equivalentes. Frente estes temas, essa pesquisa teve por objetivo realizar uma busca ativa de informações nas bases CAPES, LILACS, MEDLINE, PUBMED e SCIELO, publicados em português, inglês e espanhol, entre os anos de 2011 e 2016. Foi verificado que, embora o polimorfismo seja conhecido há séculos, seu contexto se torna ainda mais importante quando se considera a possibilidade da patente de diferentes estados polimorfos. Além disso, recentemente o mesmo ganhou uma nova abordagem da indústria farmacêutica, cuja adaptação em os co-cristais garante maior solubilidade dos fármacos e, portanto, aumentam sua biodisponibilidade. Dessa forma, a engenharia de cristais moleculares se apresenta como uma emergente técnica para o aperfeiçoamento das estruturas tridimensionais dos medicamentos, a fim de torná-los mais solúveis e estáveis.


Palavras-chave


Polimorfismo. Co-Cristais. Indústria farmacêutica. Biodisponibilidade.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.