USO E EFICÁCIA DA ERVA CIDREIRA, UM COMPARATIVO ENTRE CONHECIMENTO CIENTÍFICO E SENSO COMUM: METASSÍNTESE

Ana Paula Gomes dos Santos, Amanda Santana de Oliveira, Vania Jesus dos Santos de Oliveira

Resumo


As práticas relacionadas ao uso popular de diversas plantas medicinais são empregadas enquanto alternativa viável entre o senso comum para o tratamento e cura de diversas condições adversas à saúde da população. Dentre tais plantas medicinais, destaca-se a Lippia alba a qual possui diversos nomes populares sendo o mais conhecido erva-cidreira que de acordo com o conhecimento científico, possui um rico potencial farmacológico que esta relacionado à ampla variação na composição química de seu óleo essencial. Este estudo tem como objetivo realizar uma revisão da literatura, fazendo uso da metassíntese enquanto instrumento metodológico, onde se verificará a existência de informações na literatura científica que evidenciem assertividade do conhecimento popular acerca do potencial de ação da Lippia alba (Mill.) N. E. Brown ou se tal uso se constitui enquanto simples placebo. Para a realização da pesquisa foram utilizadas as bases de dados Periódicos CAPES, LILACS e Scielo. Como estratégia de busca utilizou-se os seguintes Indexadores: “Plantas medicinais”; “Lippia alba”; “práticas populares”, o período da pesquisa incluiu artigos publicados entre janeiro de 1998 a dezembro de 2013. Observou-se com o estudo a existência de pelo menos 25 especificidades, onde o uso da Lippia Alba torna-se eficaz.  Diante dos achados, e da crença popular quanto o uso e eficácia da erva-cidreira no tratamento e cura de diversos problemas relacionados ao processo saúde doença, evidencia-se que o estudo e observação das plantas medicinais utilizadas pelo senso comum torna-se uma importante ferramenta para o desenvolvimento de novos fármacos através da descoberta de novos princípios ativos.

Palavras-chave


Plantas medicinais. Lippia alba. práticas populares.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBERTASSE, P.D.; THOMAZ, L.D.; ANDRADE, M. A.; Plantas medicinais e seus usos na comunidade da Barra do Jucu, Vila Velha, ES. Rev. Bras. Pl. Med., Botucatu, v.12, n.3, p.250-260, 2010.

AGUIAR, J. S.; COSTA, M. C. C. D.; NASCIMENTO S. C.; SENA, K. X. F. R. Atividade antimicrobiana de Lippia alba (Mill.) N. E. Brown (Verbenaceae). Rev. Bras. Farmacogn. 18(3): Jul./Set. 2008.

AGUIAR, L.C.G.G.; BARROS, R.F.M. Plantas medicinais cultivadas em quintais de comunidades rurais no domínio do cerrado piauiense (Município de Demerval Lobão, Piauí, Brasil). Rev. Bras. Pl. Med., Botucatu, v.14, n.3, p.419-434, 2012.

BALDAUF, C.; KUBO, R. R.; SILVA, F.; IRGANG, B. E. “Ferveu, queimou o ser da erva”: conhecimentos de especialistas locais sobre plantas medicinais na região Sul do Brasil. Rev. Bras. Pl. Med., Botucatu, v.11, n.3, p.282-291, 2009.

BRASILEIRO, B. G.; PIZZIOLO, V.R.; MATOS, D. S.; GERMANO, A. M.; JAMAL, C.M. Plantas medicinais utilizadas pela população atendida no “Programa de Saúde da Família”, Governador Valadares, MG, Brasil. Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas. vol. 44, n. 4, out./dez., 2008.

BADKE, M. R.; BUDÓ, M. L. D.; SILVA, F. M.; RESSEL, L. B. Plantas Medicinais: O saber sustentado na prática do cotidiano popular. Esc Anna Nery (impr.) jan-mar; 15 (1):132-139. 2011.

BADKE, M. R.; BUDÓ, M. L. D.; ALVIM, N. A. T.; ZANETTI, G. D.; HEISLER, E. V. Saberes e práticas populares de cuidado em saúde com o uso de plantas medicinais. Texto Contexto Enferm, Florianópolis. Abr-Jun; 21(2): 363-70. 2012.

COSTA, V.P.; MAYWORM, M.A.S. Plantas medicinais utilizadas pela comunidade do bairro dos Tenentes - município de Extrema, MG, Brasil. Rev. Bras. Pl. Med., Botucatu, v.13, n.3, p.282-292, 2011.

FARIA, P. G; AYRES, A; ALVIM, N. A. T. O diálogo com gestantes sobre plantas medicinais: contribuições para os cuidados básicos de saúde. Acta Scientiarum. Maringá, v. 26, n. 2, p. 287-294, 2004.

FEIJÓ, E.V.R.S.; PEREIRA, A.S.; SOUZA, L. R.; SILVA, L. A. M.; COSTA, L. C. B. Levantamento preliminar sobre plantas medicinais utilizadas no bairro Salobrinho no município de Ilhéus, Bahia. Rev. bras. plantas med. vol.15 no.4 Botucatu 2013.

FÉLIX-SILVA, J.; TOMAZ, I. M.; SILVA, M. G.; SANTOS, K. S. C. R.; SILVA-JÚNIOR, A. A.; CARVALHO, M. C. R. D.; SOARES, L. A. L.; FERNANDES-PEDROSA, M. F. Identificação botânica e química de espécies vegetais de uso popular no Rio Grande do Norte, Brasil. Rev. Bras. Pl. Med., Botucatu, v.14, n.3, p.548-555, 2012.

FENNER, R.; BETTI, A. H.; MENTZ, L. A.; RATES, S. M. K. Plantas utilizadas na medicina popular brasileira com potencial atividade antifúngica. Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas. vol. 42, n. 3, jul./set., 2006.

GEROMINI, K. V. N.; RORATTO, F. B.; FERREIRA, F. G.; POLIDO, P. P.; SOUZA, S. G. H.; VALLE, J. S.; COLAUTO, N. B.; LINDE, G. A. Atividade antimicrobiana de óleos essenciais de plantas medicinais. Arq. Ciênc. Vet. Zool. UNIPAR, Umuarama, v. 15, n. 2, p. 127-131, jul./dez. 2012.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5.ed. São Paulo: Atlas, 2007.

HEINZMANN, B. M.; BARRO, F. M. C. Potencial das plantas nativas brasileiras para o desenvolvimento de fitomedicamentos tendo como exemplo Lippia alba (mill.) N. E. Brown (verbenaceae). Rev. Saúde, Santa Maria, vol 33, n 1: p 43-48, 2007.

JUNIOR, V. F. V. Estudo do consumo de plantas medicinais na Região Centro-Norte do Estado do Rio de Janeiro: aceitação pelos profissionais de saúde e modo de uso pela população. Rev. bras. farmacogn. vol.18 no.2 João Pessoa Apr./June 2008.

LIMA, C. B.; BELLETTINI, N. M. T.; SILVA, A. S.; CHEIRUBIM, A. P.; JANANI, J. K.; VIEIRA, M. A. V.; AMADOR, T. S. Uso de Plantas Medicinais pela População da Zona Urbana de Bandeirantes-PR. Revista Brasileira de Biociências, Porto Alegre, v. 5, supl. 1, p. 600-602, jul. 2007.

LOPES, A. L. M. Processos de educação em saúde na cessação do tabagismo: revisão sistemática e metassíntese [dissertação]. São Paulo: Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo; 2008.

MACEDO, A. F.; OSHIIWA, M.; GUARIDO, C. F. Ocorrência do uso de plantas medicinais por moradores de um bairro do município de Marília-SP. Rev. Ciênc. Farm. Básica Apl., v. 28, n.1, p.123-128, 2007.

MADALENO, I. M. Plantas da medicina popular de São Luís, Brasil. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas, v. 6, n. 2, p. 273-286, maio-ago. 2011.

MAYNARD, L. G. Efeitos cardiovasculares do óleo essencial de Lippia alba (Mill) N. E. (Erva-cridreira Brasileira) em ratos. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de Sergipe. São Cristóvão. SE. 2011.

MORAIS, S. M.; DANTAS, J. D. P.; SILVA, A. R. A.; MAGALHÃES, E. F. Plantas medicinais usadas pelos índios Tapebas do Ceará. Rev. Bras. Farmacogn. 15(2):abr/jun. 2005.

NOGUEIRA, M.A; DIAZ, G.; SAKUMO, L. Caracterização química e atividade biológica do óleo essencial de Lippia alba cultivada no Paraná. Rev. Ciênc. Farm. Básica Apl., v. 28, n.3, p. 273 - 278, 2007.

OLIVEIRA, C. J.; ARAÚJO, T. L. Plantas medicinais: usos e crenças de idosos portadores de hipertensão arterial. Revista Eletrônica de Enfermagem. Jan-Abr; 9(1): 93-105. 2007.

OLIVEIRA, E. R.; MENINI NETO, L. Levantamento etnobotânico de plantas medicinais utilizadas pelos moradores do povoado de Manejo, Lima Duarte – MG. Rev. Bras. Pl. Med., Botucatu, v.14, n.2, p.311-320, 2012.

OLIVEIRA, F.C.S.; BARROS, R.F.M.; MOITA NETO, J.M. Plantas medicinaisutilizadas em comunidades rurais de Oeiras, semiárido piauiense. Rev. Bras. Pl. Med., Botucatu, v.12, n.3, p.282-301, 2010.

PILLA, M. A. C.; AMOROZO, M. C. M.; FURLAN, A. Obtenção e uso das plantas medicinais no distrito de Martim Francisco, Município de Mogi-Mirim, SP, Brasil. Acta bot. bras. 20(4): 789-802. 2006.

PINTO, E. P. P.; AMOROZO, M. C. M.; FURLAN, A. Conhecimento popular sobre plantas medicinais em comunidades rurais de mata atlântica – Itacaré, BA, Brasil. Acta bot. bras. 20(4): 751-762. 2006.

REZENDE, H. A.; COCCO, M. I. M. A utilização de fitoterapia no cotidiano de uma população rural. Rev. Esc. Enferm. USP 2002; 36(3): 282-8.

RITTER, M. R.; SOBIERAJSKI, G. R.; SCHENKEL, E. P.; MENTZ, L. A. Plantas usadas como medicinais no município de Ipê, RS, Brasil. Rev. Bras. Framacogn., v. 12, n. 2, jul.-dez. 2002.

ROCHA, L. Q. Interferência do óleo essencial de folhas do quimiotipo II de Lippia alba (MILL.) N. E. Brown na atividade antimicrobiana na oxacilina sobre Staphylococcus aureus oxacilina-resistente. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal do Ceará. Fortaleza. 2012.

RODRIGUES, A.C.C.; GUEDES, M.L.S. Utilização de plantas medicinais no Povoado Sapucaia, Cruz das Almas – Bahia. Rev. Bras. Pl. Med., Botucatu, v.8, n.2, p.1-7, 2006.

SAMPAIO, R. F. MANCINI, M. C. Estudos de Revisão Sistemática: Um Guia para Síntese criteriosa da evidência científica. Revista Brasileira de Fisioterapia, v. 11, n. 1, p. 83-89, 2007.

SANTOS, M. R. A.; INNECCO, R. Adubação orgânica e altura de corte da erva-cidreira brasileira. Horticultura Brasileira, Brasília, v. 22, n. 2, p. 182-185, abril-junho 2004.

SILVA, N.A.; OLIVEIRA, F.F.; COSTA, L. C. B.; BIZZO, H.R.; OLIVEIRA, R.A. Caracterização química do óleo essencial da erva cidreira (Lippia alba (Mill.) N. E. Br.) cultivada em Ilhéus na Bahia. Rev. Bras. Pl. Med., Botucatu, v.8, n.3, p.52-55, 2006.

STEFANINI, M.B.; RODRIGUES, S.D.; MING, L.C. Ação de fitorreguladores no crescimento da erva-cidreira-brasileira. Horticultura Brasileira, Brasília, v. 20, n. 1, p. 18-23, março 2002.

TEIXEIRA, A. B. Avaliação das atividades antimicrobiana e antioxidante dos óleos essenciais das folhas dos quimiotipos I, II e III de Lippia alba (Mill.) N. E. Brown. Universidade Federal do Ceará. Dissertação de Mestrado. Fortaleza. 2009.

TÔRRES, A. R.; OLIVEIRA, R. A. G.; DINIZ, M. F. F. M; ARAÚJO, E. C. Estudo sobre o uso de plantas medicinais em crianças hospitalizadas da cidade de João Pessoa: riscos e benefícios. Rev. Bras. Farmacogn. 15(4):out/dez. 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.