UTILIZAÇÃO DE PLANTAS MEDICINAIS POR IDOSOS EM TRÊS BAIRROS DO MUNICÍPIO DE CONCEIÇÃO DO ALMEIDA - BA

THAÍS LIMA OLIVEIRA

Resumo


A utilização de plantas pela população é antiga, desde os tempos primitivos que o ser humano buscava na natureza plantas para aliviar ou curar qualquer enfermidade que lhe acometia. O interesse e conhecimento sobre as plantas com finalidade terapêutica é passada de geração em geração, sendo os idosos os conhecedores desses saberes. Este estudo teve como objetivo realizar um levantamento das plantas medicinais mais utilizadas por idosos em três bairros do município de Conceição do Almeida-BA. A pesquisa foi de campo, exploratória, descritiva e de abordagem qualitativa. A coleta de dados foi realizada por meio de entrevistas e como instrumento de coleta formulários estruturados submetidos a uma amostra de 60 idosos, sendo 20 moradores dos bairros da zona urbana, Brasília, Loteamento Paraíso e Loteamento Popular. Os dados foram tabulados e analisados por estatística descritiva através de análise de frequência e valor de uso, os resultados foram apresentados por tabelas e gráficos. Observou-se que a folha é parte da planta mais utilizada, sendo o chá a forma de preparo predominante pelos idosos nos três bairros pesquisados. As etnoespécies mais citadas foram erva-cidreira (Lippia alba (Mill.) N. E. Brown), boldo (Plectranthus barbatus Andr.), erva-doce (Foeniculum vulgare Mill.) e o capim-santo (Cymbopogon citratus (DC.) Stapf), quioiô (Ocimum basilicum L.), camomila (Matricaria recutita L.). É notório a percepção e o conhecimento que os idosos possuem sobre as plantas medicinais, constituindo como uma prática comum no dia a dia.


Palavras-chave


Conhecimento, Medicina popular, Erva medicinal.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBERTASSE, P. D.; THOMAZ, L.D.; ANDRADE, M.A.; Plantas medicinais e seus usos na comunidade da Barra do Jacu, Vila Velha, ES. Revista brasileira de plantas medicinais, v. 12, n. 3, p. 250-260, 2010.

ÂNGELO, T., RIBEIRO, C. C. Utilização de plantas medicinais e medicamentos fitoterápicos por idosos. Revista Eletrônica da Fainor, v.7, n.1, p.18-31, 2014.

BARACUHY, J. G. V.; FURTADO, D. A.; FRANCISCO, P. R. M.; LIMA, J. L. S.; PEREIRA, J. P. G. Plantas medicinais de uso comum no Nordeste do Brasil. 2. ed. Campina Grande: EDUFCG, 2016.

BRASIL, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Formulário de Fitoterápicos da Farmacopeia Brasileira. 1. ed. Brasília, DF: ANVISA, 2011. 126 p.

BRASIL, Conselho Nacional de Saúde. Comissão Nacional de Ética em Pesquisa. Normas para pesquisa envolvendo seres humanos: Resolução nº 196/96, Brasília, DF, 2012.

CARVALHO, M. C. G.; PIRES, R. L.; FLORINDO, W. S.; CAVALCANTI, A. S. S. Evidências para o uso de Indigo naturalis no tratamento da psoríase tipo placa: uma revisão sistemática. Revista Natureza on line, v. 8, n. 3, p. 127-131, 2010.

FEIJÓ, A. M.; BUENO, M. E. N.; CEOLIN, T.; LINCK, C. L.; SCHWARTZ, E.; LANGE, C.; MEINCKE, S. M. K.; HECK, R. M.; BARBIERI, R. L.; HEIDEN, G. Plantas medicinais utilizadas por idosos com diagnóstico de Diabetes mellitus no tratamento dos sintomas da doença. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v.14, n.1, p. 50-56, 2012.

FERNANDES, N. K.; KRUPEK, R. A. O uso de plantas medicinais por grupos da terceira idade no município de União da Vitória (PR). Arquivos do MUDI, v. 18, n. 3, p. 49-64, 2014.

FREITAS, A. V. L.; COELHO, M. F. B.; AZEVEDO, R. A. B.; MAIA, S. S. S. Os raizeiros e a comercialização de plantas medicinais em São Miguel, Rio Grande do Norte, Brasil. Revista Brasileira de Biociências, v. 10, n. 2, p. 147-156, 2012.

GRANDI, T. S. M. Tratado das plantas medicinais: minerais, nativas e cultivadas. 1. ed. Belo Horizonte: Adaequatio Estúdio, 2014.

IBGE, Distribuição da população por sexo, segundo os grupos de idade Conceição do Almeida (BA)–2010, 2016. Disponível. Acesso em: 21 abr. 2017.

LIMA, S. C. DA S.; ARRUDA, G. O.; RENOVATO, R. D.; ALVARENGA, M. R. M. Representações e usos de plantas medicinais por homens idosos. Revista Latino-Americana de Enfermagem,, v. 20, n. 4, p. 778-786, 2012.

LIPORACCI, HS N; SIMÃO, D. G. Levantamento etnobotânico de plantas medicinais nos quintais do Bairro Novo Horizonte, Ituiutaba, MG. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v. 15, n. 4, p. 529-540, 2013.

LORENZI, H. MATOS, F. J. A. Plantas medicinais no Brasil: nativas e exóticas cultivadas. Ed: Nova Odessa, São Paulo. Instituto Plantarum, 2002.

LUCENA, R. F. P. de. Avaliando a eficiência de diferentes técnicas de coleta e análise de dados para a conservação da biodiversidade a partir do conhecimento local. Recife: Tese apresentada ao Programa de Pós-graduação em Botânica da Universidade Federal Rural de Pernambuco, 2009. p. 124.

MACHADO, H. L.; MOURA, V. L.; GOUVEIA, N. M.; COSTA, G. A.; ESPINDOLA, F. S.; BOTELHO, F. V. Pesquisa e atividades de extensão em fitoterapia desenvolvidas pela Rede FitoCerrado: uso racional de plantas medicinais e fitoterápicos por idosos em Uberlândia-MG, Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v.16, n.3, p.527-533, 2014.

MARCONI, M. DE A.; LAKATOS, E. M. Técnicas de Pesquisa: planejamento execução de pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisas, elaboração, análise e interpretação de dados. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

NASCIBEM, F. G.; VIVEIRO, A. A. Para além do conhecimento cientifico: a importância dos saberes populares para o ensino das ciências. Revista Interacções, v. 11, n. 39, p. 285-295, 2015.

OLIVEIRA JUNIOR, R. G.; LAVOR, E. M. DE.; OLIVEIRA, M. R. DE.; SOUZA, E.V.; SILVA, M. A. DA.; SILVA, MA.T. N. M DA.; NUNES, L. M. N.

Plantas medicinais utilizadas por um grupo de idosos do município de Petrolina, Pernambuco. Revista Eletrônica de Farmácia, v. 9, n. 3, p. 16 - 28, 2012.

PEREIRA, A. R. A.; VELHO, A. P. M.; CORTEZ, D. A. G.; SZERWIESKI, L. L. D.; CORTEZ, L. E. R. Uso tradicional de plantas medicinais por idosos. Revista Rene, v. 17, n. 3, p. 427-434, 2016.

RIBEIRO, L. U.; GONÇALVES, G. R.; BESSA, N. G. F. Plantas medicinais e conduta terapêutica de idosos atendidos em unidade básica de saúde do município de Gurupi – Tocantins. Revista Brasileira de Ciências da Saúde, v.11, n. 37, p. 24-30, 2013.

RODRIGUES, W. Competitividade e mudança institucional na cadeia produtiva de plantas medicinais no Brasil. Interações, v. 17, n. 2, p. 267–277, 2016.

SANTOS, S. L. F.; ALVES, H. H. S.; BARROS, K. B. N. T.; PESSOA, C. V. Uso de plantas medicinais no Serviço do Sistema único de Saúde: uma revisão narrativa. Revista Saúde e Ciência Online, v. 5, n. 3, p. 63-80, 2016.

SILVA, A. B.; ARAÚJO, C. R. F.; MARIZ, S. R.; MENESES, A. B.; COUTINHO, M. S.; ALVES, R. B. da S. O uso de plantas medicinais por idosos usuários de uma unidade básica de saúde da família. Revista Enfermagem UFPE on line, v. 9, n. 3, p. 7636-7643, 2015.

SILVA, E. G. DA.; LIMA, D. C. DA S.; VALE, C. R. DO. Avaliação do uso consciente das plantas medicinais por frequentadores de uma unidade básica de saúde de Porangatu-GO. Revista da Universidade Vale do Rio Verde, Três Corações, v. 14, n. 2, p. 975-986, 2016.

SOARES, L. S. da S. Avaliação do uso de plantas medicinais por idosos cadastrados na estratégia saúde da família em Ceilândia-DF. 69 p. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso (Farmácia) Universidade de Brasília, Faculdade de Ceilândia, Ceilância-DF. 2014.

SOUZA, B. A.; LEITE, I. H. L. Uso de plantas medicinais: Conhecimento para promoção da educação em saúde. Revista de Pesquisa Interdisciplinar, v. 1, p. 516–522, 2016.

SPAGNUOLOA, R. S.; BALDOB, R. C. S. Plantas Medicinais e Seu Uso Caseiro: o Conhecimento Popular. Unopar Científica Ciências Humanas e Educação, v. 11 n.1, p. 31-34, 2009.

SZERWIESKI, L. L. D.; CORTEZ, D. A. G.; BENNEMANN, R. M.; SILVA, E. S.; CORTEZ, L. E. R. Uso de plantas medicinais por idosos da atenção primária. Revista Eletrônica de Enfermagem, v.19, p.1-11, 2017.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.