ANÁLISE DAS INTOXICAÇÕES MEDICAMENTOSAS NO ESTADO DA PARAÍBA-BRASIL EM 2017

Maiara Monike de Sousa Leite, Álefe Brito Monteiro

Resumo


Os medicamentos são ferramentas indispensáveis para minimiza o sofrimento de condições patológicas humanas. Produzem prevenção, tratamento ou cura, bem como prolongam a vida e retardam e surgimento de complicações associadas às doenças. As intoxicações medicamentosas, no entanto, apresentam um grave problema à saúde pública. O objetivo do estudo constituiu em avaliar os níveis de intoxicação por medicamentos no estado da Paraíba durante o ano de 2017. Como metodologia utilizou-se dados registrados sobre notificação por medicamentos no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN) / Sistema Nacional de Informações TóxicoFarmacológicas (SINITOX) /Ministério da Saúde (MS), no estado da Paraíba no ano de 2017. Analisaram-se as seguintes variáveis: sexo, faixa etária, zona de residência. Durante o período foram notificados 383 casos de intoxicação por medicamentos, sendo mais da metade do gênero feminino 66%. A população dos intoxicados eram em sua maioria adultos (44%) com idade de 20-29 anos. E verificou-se maior incidência na população urbana em 88% dos casos. Com a realização deste estudo pode-se observar que foi alto o número de intoxicação no estado da Paraíba no ano de 2017, e que esses dados são importantes para estimular políticas que visem o uso racional e correto dos medicamentos.


Palavras-chave


Medicamentos; Intoxicações; Paraíba.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, M. I.; MACÊDO, A. L.; PEREIRA, E. C.; FEIJÓ, C. M.; LIMA, A. M. Perfil das informações sobre medicamentos solicitados a um serviço de atendimento farmacêutico Brasileiro. Rev. Eletrônica de Farmácia, v.6, n.4, p. 3, 2010.

AZEVEDO, F. A.; CHASIN, A. A.M. As bases toxicológicas da ecotoxicologia. São Carlos, SP: RiMa, v. 2004, 2003.

BITENCOURT, N. K. S.; BORGES, L.; ALVES, S.; Souza, F. H. H. V. Intoxicações medicamentosas registradas pelo Centro de Informações Toxicológicas de Goiás. Trabalho de Conclusão de Curso (Monografia), Anápolis, 2008.

BORTOLETTO, M. É.; BOCHNER, R. Impacto dos medicamentos nas intoxicações humanas no Brasil. Cadernos de Saúde Pública, v. 15, p. 859-869, 1999.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Disponível em . Acesso em 08 nov. 2017.

LARINI, L. Toxicologia. 3ª edição. Editora Manoele Ltda. São Paulo, SP–Brasil, 1997.

MONTEIRO, C. N.; VIEIRA, R. D. C. P. A.; FERREIRA, A. S.; CHICOUREL, E. L.; RAPOSO, N. R. B. Perfil das intoxicações fatais registradas no instituto médico legal de Juiz de Fora–Minas Gerais. Revista de APS, v. 13, n. 3, 2010.

MONTEIRO, P. A. D. A.; CARVALHO JUNIOR, P. M. Características Epidemiológicas dos atendimentos de intoxicações humanas no CEATOX-79 (Marília-SP) em 2004. Rev. bras. toxicol, p. 39-45, 2007.

OLIVEIRA, J. C.; MUSIAL, D. C.; DE SOUZA SILVA, P. M.; DE SOUZA SILVA, F. M. Intoxicações por medicamentos registradas na região da Comcam-PR em 2007-2008. Rev. Saúde e Pesquisa, v.3, n.3, p.304, 2010.

SIMÃO, J. V. C.; VASCONCELOS, M. E. D.; BRAGAGNOLI, G.; MARIZ, S. R. Epidemiologia das Intoxicações em Campina Grande: impacto na saúde do idoso. 2015.

SINITOX - SISTEMA NACIONAL DE INFORMAÇÕES TÓXICO- FARMACOLÓGICO. Disponível em: . Acesso em 20 ag. 2017.

UNITED STATES PHARMACOPEIAL. Dispensing Information (USP-DI). Drug Information for the Health Care Professional. Massachusetts: World Color Book Services, 1999.

VIEIRA, A. L.; FRANÇA, G. G. As consequências no consumo indiscriminado do paracetamol e orientação farmacêutica à promoção ao uso racional. Revista Acadêmica Oswaldo Cruz. São Paulo. v. 6, n. 6, p. 1-12, 2015.

ZAMBOLIM, C. M.; OLIVEIRA, T. P. D.; HOFFMANN, A. N.; VILELA, C. E. B.; NEVES, D.; ANJOS, F. R. D.; MAGALHÃES, M. G. Perfil das intoxicações exógenas em um hospital universitário. Rev Med Minas Gerais, v. 18, n. 1, p. 5-10, 2008.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.