PARASITOSES INTESTINAIS EM CRIANÇAS QUE FREQUENTAM CRECHES

Liliane de Almeida Cardoso

Resumo


As doenças parasitárias são comuns no Brasil e no mundo, atingindo indivíduos adultos e crianças, sendo a população infantil a mais susceptível a estas infecções. Nessa perspectiva, as parasitoses intestinais ainda são consideradas um grande problema de saúde pública, com transmissão relacionada a insuficientes hábitos de higiene e saneamento básico, além de contato direto entre indivíduos contaminados, sobretudo, em locais fechados. O grupo populacional infantil que convive em creches é um dos mais acometidos por parasitoses intestinais, já que as creches são locais de convivência coletiva que possibilitam a disseminação de alguns tipos de parasitas. No presente estudo foi realizado uma revisão de literatura sobre parasitoses intestinais em crianças de creche. A pesquisa foi desenvolvida a partir de periódicos online encontrados em base de dados tais como BVS, LILACS e PubMed. Os critérios de inclusão foram artigos científicos publicados entre os anos de 2013-2018, nos idiomas português, inglês e espanhol, bem como o uso de monografias, teses e dissertações; todos com acesso ao texto completo. As crianças matriculadas em creches possuem características socioeconômicas e culturais que refletem peculiaridades na incidência de parasitoses intestinais. A presença das parasitoses pode causar danos cognitivos e físicos, resultando em dificuldades no crescimento e desenvolvimento das crianças, causando sintomas inespecíficos, tais como dores abdominais, febre, diarreia, entre outros. Na região Nordeste ainda são poucos os estudos de investigação coproparasitológicos nesta população, dificultando o conhecimento da realidade vivenciada por muitas cidades no que se diz respeito aos casos de parasitoses intestinais na infância e, sobretudo, em creches, tornando necessário a realização de mais estudos para que sejam tomadas medidas no sentido de prevenir e reduzir a contaminação em ambientes aglomerados, evitando assim a disseminação de parasitoses intestinais em crianças que convivem em creches.


Palavras-chave


Epidemiologia. Saúde pública. Protozooses.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, J. A. R.; SANTOS FILHO, E. Parasitoses intestinais na infância. Pediatria Moderna, São Paulo, v. 49, n. 12, p. 1-14, 2014.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Doenças Infecciosas e Parasitárias. 4ª edição ampliada, Brasília, DF, 2014.

DELAZERI, M. A. F. Incidência de parasitos intestinais em crianças das escolas municipais de educação infantil e ensino fundamental de um município do interior do Rio Grande do Sul. Destaques Acadêmicos, v. 9, n. 3, p.206-215, 2017.

DIAS, M. G. P. F. et al. Enteroparasitos em crianças de instituição de ensino filantrópica: ênfase para Cryptosporidium spp. e Giardia spp. Arquivos de Ciências da Saúde, v. 25, n. 1, p. 51-55, 2018.

FONSECA, T. C. et al. Fatores associados às enteroparasitoses em crianças usuárias de creches comunitárias. Revista Ciência e Saúde. v.11, n.1, p.1-8, 2018.

LIMA, D. S. et al. Parasitoses Intestinais Infantis no Nordeste Brasileiro: Uma Revisão Integrativa da Literatura. Cadernos de Graduação. v.1, n.2, p.71-80, 2013.

LUDWIG, K. M. CONTE, A. O. C. Enteroparasitosis in Children of A Creche in the City of Assis: Before and After Educational Campaigns. Revista Santa Maria. v.43, n.3, p.1-9, 2017.

MAIA, C. V. A. Intestinal Parasites and Social-Sanitary Aspects in Northeastern Brazil in the Twenty-First Century: A Literature Review. Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde. v.12, n.23, p.1-11, 2016.

MOURA, M. A. A. Perfil parasitológico de crianças matriculadas em dois Centros de Referência em Educação Infantil do município de João Pessoa/PB. João Pessoa: UFPB. 2016.

OMS. Organização Mundial de Saúde. Disponível em: . Acesso em: 06 de agosto de 2018.

REUTER, C. P. et al. Prevalence of intestinal parasitoses: a study involving children attending a crèche in Santa Cruz do Sul – RS. Cinergis. v.16, n.2, p.1-6, 2015.

SANTOS, J. et al. Parasitoses Intestinais em Crianças de Creche Comunitária em Florianópolis, SC, Brasil. Revista de Patologia Tropical. v.43, n.3, p.1-9, 2014.

SEMIÃO, C. M. et al. Prevalência de Parasitoses Intestinais em Crianças de uma Creche do Município de Belo Horizonte, Minas Gerais. Revista Iniciação Científica. v.14, p.1-5, 2014.

SILVA, A. V. M. et al. Ações de Extensão para Promoção da Saúde em Creche no Município de Belo Horizonte, MG. Revista Interagir: pensando a extensão. n.22, p.1-14, 2016.

SOARES, C. V. D. et al. Prevalência de enteroparasitoses em crianças de uma creche pública no município de Campina Grande. Journal of Biology & Pharmacy and Agricultural Management. v. 12, n. 4, p.1-11, 2016.

UNA-SUS, Saúde da Criança e a Saúde da Família: Agravos e Doenças Prevalentes na Infância. Universidade Federal do Maranhão-UFMA, São Luís 2014.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.