PADRÃO MICROBIOLÓGICO DE ÁGUA DE COCO INDUSTRIALIZADA NA CIDADE DE SOUSA-PB

Antonio Marcos Saraiva, Damião Junior Gomes, Lidiane Mendes Almeida, Victor Henrique Dantas de Oliveira, Ibson Igor Lima

Resumo


A água de coco é uma bebida bem consumida no território brasileiro, e que vem ganhando popularidade também no mercado mundial, por ser um líquido com sabor atraente e refrescante, além de ser rico em eletrólitos e importante reidratante oral. Por ser um produto alimentício, a conformidade sanitária e qualidade sensorial devem ser observadas. Três amostras de água de coco envazadas e resfriadas, de diferentes marcas, foram coletadas em recipiente apropriado e levadas para os testes de controle de qualidade microbiológicos segundo o “manual de métodos microbiológicos para alimentos” do Ministério da Agricultura do Brasil. Os resultados encontrados revelaram que nenhuma das amostras analisadas (n=11) estavam isentas de contaminantes. A maioria das amostras apresentaram contagens de coliformes totais acima do tolerado pela legislação brasileira vigente, exceto duas. No tocante aos Coliformes fecais, cinco amostras se apresentaram insatisfatórias para o consumo. Das amostras analisadas, uma foi positiva para a presença de Escherichia coli. Das amostras analisadas, dez (90,90%) não tinham os padrões de qualidade vigentes, para serem comercializadas. Portanto, estes resultados servem de alerta aos órgãos de Vigilância Sanitária, no tocante ao controle destes produtos, de modo a garantir a qualidade do produto e a saúde do consumidor. Novos estudos se fazem necessários para o acompanhamento da evolução dos parâmetros de qualidade dos produtos em questão.

Palavras-chave


Água de coco

Texto completo:

PDF

Referências


AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA (ANVISA). Condições Higiênicos-Sanitárias e de Boas Práticas de Fabricação para Estabelecimentos Produtores / Industrializadores de Alimentos. Portaria SVS/MS nº 326, 1997.

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA (ANVISA). Dispõe sobre o Regulamento Técnico de Procedimentos Higiênico-Sanitários para Manipulação de Alimentos e Bebidas Preparados com Vegetais. Resoluções ANVISARDC nº 218, 2005

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA (ANVISA). Regulamento Técnico sobre os Padrões Microbiológicos para Alimentos-Anexo, Resoluções ANVISA RDC nº 12, 2001.

CARVALHO, J. M.; et al. Água-de-coco: Propriedades nutricionais, funcionais e processamento. Semina ciência Agraria, v. 27, n. 3, p. 437-452, 2006.

DA SILVA, N.; et al. Manual de Métodos de Análise Microbiológica de Água e Alimentos. 4. ed. São Paulo: Varela, 2010.

DIAS, F. M.; et al. Qualidade microbiológica da água de coco comercializada em carrinhos ambulantes, na região central do município de Vitória da Conquista, BA. Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais. v.17, n.1, p.97-103, 2015.

EMBRAPA. Água de coco verde refrigerada. Brasília, DF. Embrapa Informação Tecnológica, 34p. 2005.

EMBRAPA. Documentos 164 - Evolução da produção de coco no Brasil e o comércio internacional - Panorama 2010. Aracaju, SE. Embrapa Tabuleiros Costeiro, 2011.

GOUVEIA, F. Indústria de alimentos: no caminho da inovação e de novos produtos. Inovação Uniemp. vol.2, n.5, p. 32-37, 2006.

LIMA, S. A. J.; et al. Caracterização físico-química de qualidade da água de coco anão verde industrializada. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, v. 10, n. 1, p. 35-42, 2015.

MUNICÍPIO DE SOUSA-PB (MSP). Vale dos Dinossáuros. 2013. http://www.sousa.pb.gov.br/ 2013/index.php/cidade.html. Acessado em 24 de fevereiro de 2016 às 13h.

NOGUEIRA, A. L. C.; et al. Avaliação sensorial de água de coco (Cocos nucifera L) in natura e processada. Revista de Biologia e Ciências da Terra. v. 4, n.2, 2004.

SOUSA, R. C. P.; et al. Tecnologia de bioprocesso para produção de alimentos funcionais. Revista Agro@mbiente On-line, v. 7, n. 3, p. 366-372, 2013

TAKAYANAGUI, O.M.; et al. Avaliação da contaminação de hortas produtoras de verduras após a implantação do sistema de fiscalização em Ribeirão Preto, SP. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, v.40, n.2, p.239-241, 2007.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.