MANEJO INTEGRADO DE VETORES: USO DE TELAS MILIMÉTRICAS EM JANELAS

Josimar dos Santos Medeiros

Resumo


As parasitoses e outras infecções transmitidas por vetores estão entre as principais causas de agravos à saúde em todo o mundo, especialmente nos países de clima tropical e subtropical; deste modo, representam um importante problema de saúde pública. Contudo, apenas ao fim do século XIX foi que passamos a reconhecer que insetos e outros vetores faziam parte essencial do ciclo de transmissão de diversos agentes infecciosos. Os artrópodes representam a maioria dos animais que são vetores, e as mudanças climáticas verificadas nas últimas décadas tendem a aumentar a distribuição e amplitude destas espécies, deste modo ampliando também os casos de contaminação humana por transmissão vetorial. Em nosso país existem diversas doenças transmitidas por vetores, tais como dengue, zika vírus, chikungunya, febre amarela, malária, oncocercose, doença de Chagas, leishmaniose, elefantíase, angiostrongilíase, fasciolose e esquistossomose. Se forem considerados os vetores mecânicos, tais como moscas e baratas, a lista incluirá todas as infecções passíveis de transmissão por via oral, tais como hepatite A, outras infecções virais, bacterianas, fúngicas, helmintoses e protozooses. O Ministério da Saúde do Brasil recomenda o Manejo Integrado de Vetores, que é dividido em controle biológico, mecânico ou ambiental e químico. O controle mecânico ou ambiental usa métodos que eliminam ou reduzem as áreas onde os vetores se desenvolvem como a remoção da água estagnada, a destruição de pneus velhos e latas que servem como criadouros de mosquito ou métodos que limitam o contato homem-vetor como mosquiteiros, telas nas janelas das casas ou roupas de proteção. Há dispositivos legais que recomendam o uso de telas nas janelas, mas o que se vê no Brasil é uma negligência com esta importante medida de saúde pública. Nos Estados Unidos, por exemplo, há baixa ocorrência de infecções transmitidas por insetos vetores. Naquele país a instalação de telas nas janelas foi uma das medidas mais simples e efetivas na vitória dos americanos contra a malária.


Palavras-chave


Zoonoses. Transmissão vetorial. Parasitologia.

Texto completo:

PDF

Referências


BARCELLOS, C; MONTEIRO, A.M.V; CORVALÁN, C.; GURGEL, H.C; Carvalho, M.S; ARTAXO, P.; HACON, S.; RAGONI, V. Mudanças climáticas e ambientais e as doenças infecciosas: cenários e incertezas para o Brasil. Epidemiol. Serv. Saúde, v.18, n. 3, 285-304. 2009.

BRASIL. Resolução RDC 50, de 2002. Dispõe sobre o Regulamento Técnico para planejamento, programação, elaboração e avaliação de projetos físicos de estabelecimentos assistenciais de saúde. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, ano 139, n. 8, p. 1-74, 13 jun. 2002.

BRASIL. Ministério da Saúde. Fundação Nacional da Saúde. Assessoria de Comunicação e Educação em Saúde. Manual de Saneamento. 3. ed. rev. - Brasília: Fundação Nacional de Saúde, 2004.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Coordenação-Geral de Desenvolvimento da Epidemiologia em Serviços. Guia de Vigilância em Saúde: volume 3. Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Coordenação-Geral de Desenvolvimento da Epidemiologia em Serviços. – 1. ed. atual. – Brasília: Ministério da Saúde, 2017.

FELLET, João. Como telas na janela ajudaram EUA a vencer malária, e poderiam ser arma útil contra zika. BBC News Brasil, 7 Março 2016. Disponível em https:// www.bbc.com/ portuguese/noticias/2016/03/160307_telas_malaria_zika_jf_ab. Acesso em 23 de maio de 2019.

NEVES, D. P.; MELO, A. L.; LINARDI, P. M.; VITOR, R. W. A. Parasitologia humana. 13. ed. Rio de Janeiro: Atheneu, 2016.

REY, L. Bases da parasitologia médica. 3. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011.

SÃO PAULO. Portaria CVS 5, de 09 de abril de 2013. Aprova o regulamento técnico sobre boas práticas para estabelecimentos comerciais de alimentos e para serviços de alimentação, e o roteiro de inspeção, anexo. Diário Oficial do Estado: Poder Executivo, seção 1, São Paulo, SP, ano 73, p. 32-35, 09 abr. 2013.

SILVA, P. C.; GUIMARÃES, F. L.; FERREIRA, R. N. C. Controle de vetores: procedimentos de segurança. Brasília: Ministério da Saúde/Fundação Nacional da Saúde, 2001.

SILVEIRA, A. C.; DIAS, J. C. P. O controle da transmissão vetorial. Rev. Soc. Bras. Med. Trop., Uberaba, v. 44, supl. 2, p. 52-63, 2011.

WERMELINGER, E. D.; FERREIRA, A. P. Métodos de controle de insetos vetores: um estudo das classificações. Rev Pan-Amaz Saude, Ananindeua, v. 4, n. 3, p. 49-54, set. 2013.

WHO. World Health Organization. Keeping the vector out: housing improvements for vector control and sustainable development. Geneva: World Health Organization; 2017.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.