ANÁLISE DA COMPETITIVIDADE DO SETOR VINÍCOLA DO RIO GRANDE DO SUL

Mygre Lopes da Silva, Nadine Gerhardt Lermen, Rodrigo Abbade da Silva, Daneil Arruda Coronel

Resumo


Este trabalho analisa a competitividade das exportações gaúchas de vinhos, de 1999 a 2014, para os mercados dos Estados Unidos, Paraguai, União Europeia e Colômbia. Neste sentido, o método utilizado baseia-se no cálculo dos indicadores de competitividade aplicados ao comércio internacional. Os indicadores aplicados são os índices de Orientação Regional (IOR), Vantagens Comparativas Reveladas (IVCR) e Contribuição do Saldo Comercial (ICSC). As variáveis utilizadas foram coletadas do Sistema de Análise de Informações de Comércio Exterior (Alice Web). Os resultados indicaram que as exportações do setor vinícola gaúcho eram mais orientadas para o mercado paraguaio até 2002, e, após este período, estas passaram a se orientar de forma mais acentuada para o mercado colombiano. O estado apresenta vantagens comparativas no setor vinícola em relação às demais regiões do Brasil. Contudo, a contribuição do setor ao saldo comercial gaúcho é negativa devido às grandes importações de vinhos finos feitas pelo estado.


Palavras-chave


Setor vinícola; Comércio Internacional; Indicadores de Competitividade.

Texto completo:

PDF

Referências


AGÊNCIA PARA O INVESTIMENTO E COMÉRCIO EXTERNO DE PORTUGAL- AICEP. Síntese setorial de mercado, vinho. AICEP Portugal Global, nov. 2013.

ALICE WEB - ANÁLISE DAS INFORMAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR. Consultas. Disponível em: . Acesso em: 09 jan. 2015.

AZÚA, D. E. R. O neoprotecionismo e o comércio exterior. São Paulo: Aduaneiras, 1986.

BALASSA, B. Trade liberalization and “revealed” comparative advantage., Manchester: The Manchester School of Economic and Social Studies, v. 33, p. 99-123, 1965.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Viticultura. Brasília, DF, 2015. Disponível em . Acesso em: 15 jun. 2015a.

BRASIL. Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento. Superintendência Federal de Agricultura - RS - Serviço de Inspeção Vegetal. Disponível em: . Acesso em jun. de 2015b.

BRUM, A. L.; HECK, C.R. Economia internacional: uma síntese da análise teórica. Ijuí: Unijuí, 2005.

CAVES, R. E.; FRANKEL, J. A.; JONES, R. W. Economia Internacional: comércio e transações globais. 6. ed. São Paulo: Saraiva, 2001, p. 598.

COMISSÃO EUROPEIA. A Europa e a Crise Financeira Mundial Balanço da resposta política da UE. Textos para discussão- Fundação Robert Schuman, abr. 2011.

CORONEL, D. A.; CARVALHO, F. M. A.; MACHADO, J. A. D.; WAQUIL, P. D.; ILHA, A. S. Exportações do complexo brasileiro de soja vantagens comparativas reveladas e orientação regional. Revista de Política Agrícola, v. 17, p. 20-32, 2008.

FARIAS, C. V. S. Redes de cooperação e internacionalização da vitivinicultura brasileira: o caso Wines from Brazil. FACEF PESQUISA, v.14, n.1, p. 52-66, jan./abr. 2011.

HOECKEL, P. H. O. ; FREITAS, C. A.; OLIVEIRA, G. N. A concentração de mercado no setor vinícola do rio grande do sul (2004-2012). In: Encontro de Economia Gaúcha, 7, 2014. Anais... Porto Alegre: PUCRS, 2014.

HOECKEL, P. H. O.; FREITAS, C. A.; OLIVEIRA, G. N.; CASAGRANDE, D. L.; SANTOS, C. A. P. Análise da estrutura de mercado do sistema agroindustrial vitivinícola do Rio Grande do Sul. Revista Economia & Tecnologia, v. 9, Número 4, p. 113-128, 2013.

INSTITUTO BRASILEIRO DO VINHO (IBRAVIN). Avaliação Setorial. Bento Gonçalves, 2013. Disponível em: . Acesso em: 5 mai.2015.

INSTITUTO BRASILEIRO DO VINHO (IBRAVIN). Panorama Geral. Bento Gonçalves, 2015. Disponível em: . Acesso em 10 jun. 2015.

KRUGMAN, P.; OBSTFELD, M. Economia Internacional. 6. ed. São Paulo: Pearson Addison Wesley, 2005, 558 p.

LAFAY, G. La measure des avantages comparatifs revéles. Economie Prospective Internationale, n. 41, p. 27-43, 1990.

LOPES, M. M.; SILVA, R. A.; CORONEL, D. A.; VIEIRA, K. M.; FREITAS, C. A.Análise da competitividade das exportações agrícolas brasileiras para a China: uma análise do complexo soja e fumo. Revista UNIABEU, v. 6, n. 13, p. 189-208, 2013.

MAIA, J. M. Economia internacional e comércio exterior. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2001.

MEIRELLES, E. R.; REBELATO, M. G; RODRIGUES, A. M. Competitividade e estratégias internacionais do setor vinícola brasileiro. Administração de empresas em Revista, v. 10, n. 11, 2011.

NIEDERLE, P. A. As Associações de Produtores no desenvolvimento do setor vitivinícola da Serra Gaúcha: um projeto de qualificação e uma necessidade de diversificação. In: Congresso da Sociedade Brasileira de Economia, Administração e sociologia rural, 48, 2010. Campo Grande. Anais... Campo Grande, 2010.

PELEGRINI, T.; DORR, A. C.; GUSE, J. C.; ZAJONZ, B.; SCHULZ, J. O papel da Indicação Geográfica no Vale dos Vinhedos - RS sob a ótica da percepção dos produtores. In: Congresso da Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural, 52, 2014. Goiânia. Anais... Goiânia, 2014.

PEREIRA, B. D.; SILVA, P. L.; FARIA, A. M. M. SILVA, G. R.; JOSEPH, L. C. R. Especialização e vantagens competitivas do estado de Mato Grosso no mercado internacional: um estudo de indicadores de comércio exterior no período 1996-2007. Revista de Economia. v. 35, n. 3, p. 41-58. 2009.

PORTER, M. A vantagem competitiva das nações. Rio de Janeiro: Editora Campus, 1993.

PRATES, D. M. O efeito-contágio da crise global sobre os países emergentes. Revista de Economia Política, v.31 n.2, abr./jun. 2011.

PROTAS, J. F. S.; CAMARGO, U. A.; MELLO, L. M. R. Vitivinicultura brasileira: regiões tradicionais e pólos emergentes. In: Informe Agropecuário, EPAMIG, Belo Horizonte, MG, v. 27, n. 234, 2006.

RAMALHO, P. P. Estratégias para o desenvolvimento do sector vitivinícola brasileiro: o caso das empresas do Vale de São Francisco. (Dissertação de Mestrado em Gestão de Empresas) – Universidade de Évora, Évora, Portugal, 2006.

RÉVILLION, J.; FLORES, S.; WILK, E.; BADEJO, M.; MERCALI, G.; GANDOLFI, L.; ALLES, M.; MARIOT, R.; CAMPOS, S.; ALBERTI, S.; ROMERO, A. Qualidade sensorial de vinhos tintos finos do Rio Grande do Sul comparados aos importados da Argentina e Chile. Ciência e Tecnologia de Alimentos, v. 27, p. 177-180, 2007.

ROSA, S. E. S.; SIMÕES, P. M. Desafios da vitivinicultura brasileira. BNDES Setorial, Rio de Janeiro, n. 19, p. 67-90, mar. 2004.

SALVATORE, D. Economia internacional. Rio de Janeiro: Livros Técnicos Científicos (LTC), 1999.

SATO, G. S.; ANGELO, J. A. Exportações de vinhos e derivados e o processo de internacionalização das vinícolas brasileiras. Informações Econômicas, São Paulo, v.37, n.11, nov. 2007.

SEAPA-RS - Secretaria da Agricultura, Pecuária e Agronegócio. Disponível em: . Acesso em: 15 jul. 2015.

SLUSZZ, T.; PADILHA, A.C.M. Estratégias de internacionalização dos espumantes: um estudo de cinco vinícolas do Rio Grande do Sul. Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional. Taubaté, v. 4, n. 4, p. 3-24, set-dez/2008.

TERUCHKIN, S. R. U. As estratégias empresariais para os vinhos finos no Brasil e no Uruguai : uma análise comparada. (Tese de Doutorado em Administração)- Programa de Pós-Graduação em Administração, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2003.

TRICHES, V. Competitividade da cadeia produtiva Vitivinícola do RS. (Dissertação de Mestrado)- Programa de Pós Graduação em Economia, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2007.

TRICHES, D.; SIMAN, R. F.; CALDART, W. L. Identificação e análise da cadeia produtiva da uva e do vinho na região da Serra gaúcha. Texto para Discussão, UCS, Caxias do Sul, 2004.

WILLIANSON, J.; MILNER, C. The word economy: a textbook in international economics. London: Harvestar Wheatsheaf, 1991.

YEATS, A. Does Mercosur’s trade performance raice concerns about the effects of regional trade arrangements? Policy Research Working Paper, Washington, n. 1729, p. 1-33, fev. 1997.




DOI: http://dx.doi.org/10.18391/req.v17i1.2963

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Qualitas Revista Eletrônica

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Qualitas Revista Eletrônica

Campina Grande - PB

ISSN - 1677-4280

Digital Object Identifier (DOI): 10.18391