CAPITAL SOCIAL DO ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DO SUDOESTE DO PARANÁ

Augusto Faber Flôres, Marcos Junior Marini

Resumo


Os Arranjos Produtivos Locais surgem como resposta para a crise do modelo de produção existente até os anos 1970. Nesse contexto, os APLs ganham destaque na literatura pela capacidade de dinamizar o desenvolvimento regional, surgindo na agenda governamental brasileira a partir dos anos de 1990. O objetivo geral do trabalho centrou-se em analisar o capital social do Arranjo Produtivo Local de Tecnologia da Informação do Sudoeste do Paraná. Foram selecionados para a amostra um conjunto de trinta e um entrevistados, sendo: três da governança local, dezenove empresários e nove agentes de apoio. O estudo está enquadrado como pesquisa descritiva com caráter exploratório, com análise baseada em dados qualiquantitativos. Na fase exploratória utilizou-se de pesquisa de campo, com roteiro de entrevista aplicado aos participantes, o qual possibilitou a obtenção das informações necessárias para a condução da pesquisa sobre capital social no APL. Como resultados de pesquisa, verificou-se que alguns indicadores apresentaram níveis baixos, como, por exemplo,  participação, engajamento e comprometimento, densidade e reciprocidade. Adicionalmente, obtiveram valores médios, os indicadores referentes a confiança, cooperação, nível de relacionamento e troca de informações. Como recomendação para futuros estudos sugere-se a reaplicação dos instrumentos de coleta de dados junto ao conjunto de participantes deste APL, o que contribuirá para uma análise temporal sobre as condições do capital social do APL.


Palavras-chave


Arranjo Produtivo Local. Capital Social. Desenvolvimento Regional. Sudoeste do Paraná.

Texto completo:

PDF

Referências


BECATTINI, G. Os distritos industriais na Itália. In: Empresários e empregos nos novos territórios produtivos: o caso da terceira Itália. Rio de Janeiro: DP&A, 1999.

BENKO, G. Economia Espaço e Globalização: na aurora do século XXI. Editora Hucitec. São Paulo, 1999.

BOURDIEU, P. 'O capital social-notas provisórias'. In: Nogueira, M. A. e A. Catani (orgs.) Pierre Bourdieu: escritos de educação. Capítulo III. Petrópolis, RJ: Vozes, 1985.

BOISIER, S. Desarollo (Local): De que estamos hablando? In: Transformaciones globales, instituiciones y políticas de desarrollo local. Rosário: Editoria Homo Sapiens, 2001.

BRITO, J. e STALLIVIERI, F. Inovação, cooperação e aprendizado no setor de software no Brasil: análise exploratória baseada no conceito de Arranjos Produtivos Locais. Economia e Sociedade, Campinas, v. 19, p.315-358, ago. 2010.

COLEMAN, J. Social Capital in the Creation of Human Capital. The American Journal of Sociology, Vol. 94, Supplement: Organizations and Institutions: Sociological and Economic Approaches to the Analysis of Social Structure. p. S95- S120, 1988.

CHAVES, S, S. Cooperativismo de crédito e empresas de pequeno porte em arranjos produtivos locais. 2009. 236 p. Tese - UFRGS, Porto Alegre, RS, 2009.

COSTA, A; Cooperação e Capital Social em Arranjos Produtivos Locais. Revista de Desenvolvimento Econômico, v. IX, p. 51-60, 2007.

COSTA, E. J. M. Arranjos Produtivos Locais, Políticas Públicas e Desenvolvimento Regional. Brasília: Mais Gráfica Editora. 2010.

EVANS, P. Government action, social capital and development: reviewing the evidence on synergy, Revista World Development, v. 24, n. 6, p. 1119-1132, 1996.

FUKUYAMA, F. Confiança: valores sociais e criação de prosperidade. Lisboa: Gradiva, 1996. 412 p.

FARAH, M. Uma proposta de estruturação da capacidade competitiva das PQ e MD Empresas metal-mecânica da região de Curitiba através da formação de clusters. Tese. UNISC, Florianópolis, 2002.

HATALA, J. Social Analysis in Human Resource Development: A New Methodology. Human Resource Development Review. Mar 2006; Vol 5, 1, P 49-71.

LASTRES, H. M. Avaliação das políticas de promoção de arranjos produtivos locais no Brasil e proposição de ações. Brasília: CGEE, 2003.

MARINI, M. J.; SILVA, C. L. Políticas Públicas e Arranjos Produtivos Locais: uma análise do APL de Confecção Sudoeste do Paraná. Revista Paranaense de Desenvolvimento , v. 118, p. 87-112, 2010.

MARINI, M. J.; SILVA, C. L.. Políticas de descentralização no Estado do Paraná: um estudo sobre o APL de Software do Sudoeste do Paraná. Espacios (Caracas), v. 33, p. 4-23, 2012.

IPARDES. Identificação, caracterização, construção de tipologias e apoio na formulação de políticas para arranjos produtivos locais do Estado do Paraná: Curitiba: IPARDES, 2006.

MOLINA-MORALES, F. X., Martínez-Fernández, M. T., Ares-Vázquez, M. A., & Hoffmann, V. E. (2008). La estructura y naturaleza del capital social en las aglomeraciones territoriales de empresas. (p. 115). Bilbao - Espanha: Fundación BBVA.

PORTER, M. Vantagem Competitiva: criando e sustentando um desempenho superior. Rio de Janeiro: Campus: 1998.

PUTNAM, R. Comunidade e Democracia. Rio de Janeiro: FGV, 1996

REDESIST. Glossário sobre arranjos e sistemas produtivos e inovativos locais. Rio de Janeiro, 2003.

SAMPAIO, G. Capital Social e Ações Conjuntas: Um Estudo de Caso no Apl de Vinhos De Altitude Catarinense. Dissertação. UTFPR, 2016.

SCHMITZ, H;. Aglomerações produtivas e cadeias de valor: como a organização das relações entre empresas influencia o aprimoramento produtivo. Conhecimento, sistemas de inovação e desenvolvimento. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2005.

SCOTT, J. Social network analysis: a handbook. 2. Ed. 2000.

SILVA, A. P. Turismo e Desenvolvimento Territorial na Quarta Colônia RS: Uma Abordagem na Perspectiva do Capital Social. Tese. UFSM, 2014.

WASSERMAN, S; FAUST, K. Social network analysis: methods and applications. Cambridge; New York: Cambridge University Press, 1994.

WOOLCOCK, Stephen. European Trade Policy: Global Pressures and Domestic Contraits. 2000.




DOI: http://dx.doi.org/10.18391/req.v20i1.4868

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Qualitas Revista Eletrônica

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Qualitas Revista Eletrônica

Campina Grande - PB

ISSN - 1677-4280

Digital Object Identifier (DOI): 10.18391