Edições anteriores

2016

Capa da revista

v. 8, n. 3 (2016)

Imagem da capa: Ilustração apresentada pelos autores Carlos Ferreira e Rodrigo Rosa, no trabalho intitulado “Os Sertões : A luta de Euclides da Cunha”, a partir de uma adaptação da obra “Os Sertões”, de Euclides da Cunha, com publicação em São Paulo/SP, por meio da Editora Desiderata (Grandes Clássicos em Graphic Novel). Em síntese, a imagem representa a Guerra de Canudos, que foi um confronto entre o Exército Brasileiro e um movimento popular de cunho sócio-religioso, liderado por Antônio Conselheiro, que durou de 1896 à 1897, na então comunidade de Canudos, no interior do estado da Bahia, no Nordeste brasileiro. Na época, a região era caracterizada por latifúndios improdutivos, secas cíclicas e desemprego prolongado, passando assim por uma grave crise econômica e social. Desse modo, milhares de sertanejos partiram para Canudos, comunidade liderada por Antônio Conselheiro. O conflito de Canudos mobilizou aproximadamente doze mil soldados oriundos de 17 estados brasileiros. Em 1897, os militantes incendiaram o arraial, matando grande parte da população, estimando-se que morreram aproximadamente vinte e cinco mil pessoas, com destruição total da povoação.
Links:
https://papodehomem.com.br/os-sertoes-de-euclides-da-cunha-explica-o-brasil/
http://blogdosquadrinhos.blog.uol.com.br/arch2010-12-01_2010-12-31.html
https://pt.wikipedia.org/wiki/Guerra_de_Canudos
Capa da revista

v. 8, n. 2 (2016)

Imagem da capa: “Votacão da Lei Áurea”, sessão do Senado em que se aprovou a Lei Áurea, em primeira votação em 09.05.1888, na segunda votação em 12.05.1888 e na terceira votação, a Lei Áurea, oficialmente Lei Imperial n.º 3.353 foi sancionada em 13 de maio de 1888, tendo sido o diploma legal que extinguiu a escravidão no Brasil. Tal ato foi realizado no Palácio do Rio de Janeiro, pela Princesa Imperial Regente, em nome de Sua Majestade, o Imperador D. Pedro II.
Link: https://pt.wikipedia.org/wiki/Lei_%C3%81urea
Capa da revista

v. 8, n. 1 (2016)

Imagem da capa: “A Câmara dos Comuns” ocupada pelos parlamentaristas, a qual abriu em 1950, depois de a Câmara Vitoriana ter sido destruida em 1941, é da autoria do arquitecto Giles Gilbert Scott e fica localizada no extremo Norte do Palácio de Westminster, em Londres, onde igualmente se encontra a Câmara dos Lordes, sendo âmbas Câmaras integrantes do Parlamento do Reino Unido. O referido palácio fica situado na margem do Rio Tamisa, no Borough da Cidade de Westminster. Durante as sessões parlamentares é possível assistir aos debates a partir da Galeria dos Estranhos (Strangers' Galleries), estando até mesmo a Rainha sujeita à restrições. Durante a Abertura Solene do Parlamento (State Opening of Parliament) a soberana deve sentar-se no trono entre os Lordes enquanto o Primeiro-Ministro e os membros do Gabinete são convidados a entrar pela Câmara dos Comuns.
Link: https://pt.wikipedia.org/wiki/Pal%C3%A1cio_de_Westminster

2015

Capa da revista

v. 7, n. 3 (2015)

Imagem da capa: “Estátua da Alegoria da Igualdade”, Paris (França). A Alegoria da Igualdade segura a tábua, onde se inscreve a “Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão”, expressando os ideais da revolução e proclamando que “o fim de toda associação política é a preservação dos direitos naturais e imprescritíveis do homem”.
Link: https://pt.wikipedia.org/wiki/Igualdade_perante_a_lei
Capa da revista

v. 7, n. 2 (2015)

Imagem da capa: “O Leviatã, de Hobbes” Folha de rosto da edição de 1642 do Leviatã de Hobbes(1587-1666), que parte do princípio de que os homens são egoístas e que o mundo não satisfaz todas as suas necessidades, defendo por isso que no Estado Natural, sem a existência da sociedade civil, haverá necessariamente competição entre os homens pela riqueza, segurança e glória. A luta que se segue é a «guerra de todos contra todos», na célebre formulação de Hobbes, em que por isso não pode haver comércio, indústria ou civilização. Enfim, a luta ocorre porque cada homem persegue racionalmente os seus próprios interesses, sem que o resultado interesse a alguém.
Link: http://www.arqnet.pt/portal/teoria/leviata.html
Capa da revista

v. 7, n. 1 (2015)

Imagem da capa: “Oráculo de Delfos” A ÚNICA REPRESENTAÇÃO da sacerdotisa, ou pitonisa, de Delfos, da época em que o oráculo estava ativo, mostra a câmara de teto baixo e a pitonisa sentada em um trípode. Em uma das mãos ela segura um ramo de louro (a árvore
sagrada de Apolo); na outra ela segura uma taça contendo, provavelmente, água proveniente de uma fonte e que penetrava, borbulhando, na câmara, trazendo consigo gases que levavam a um estado de transe. Esta cena mitológica mostra o rei Egeu de Atenas consultando a primeira pitonisa, Têmis.
A peça foi feita por um oleiro ateniense em torno de 440 a.C (pintura em vaso).
Links: https://minilua.com/o-misterioso-orculo-de-delfos/
http://www2.uol.com.br/sciam/reportagens/a_fonte_do_poder_no_oraculo_de_delfos.html

2014

Capa da revista

v. 6, n. 3 (2014): Revista Dat@venia

Imagem da capa: "A Justiça" é o nome de uma escultura localizada em frente ao prédio do Supremo Tribunal Federal, em Brasília. Foi feita em 1961 pelo artista plástico mineiro Alfredo Ceschiatti, em um bloco monolítico de granito de Petrópolis, medindo 3,3 metros de altura e 1,48 metro de largura. A escultura representa o Poder Judiciário como uma mulher com os olhos vendados e espada; esta representa a força, a coragem, a ordem e a regra necessárias para impor o direito, enquanto que aquele representam a imparcialidade da Justiça. Porém a escultura não mostra a balança, que representaria sua intenção de nivelar o tratamento jurídico de todos por igual; a ponderação dos interesses das partes em litígio. A simbologia dessa escultura tem origem na deusa romana Justiça, que corresponde à grega Dice, filha de Zeus com Têmis, a guardiã dos juramentos dos homens.
Link: https://pt.wikipedia.org/wiki/A_Justi%C3%A7a_(escultura)
Capa da revista

v. 6, n. 2 (2014)

Imagem da capa: "Ritual e Vida" de Confúcio por Prospero Intorcetta, 1687. A filosofia de Confúcio, datada do século VI a.C., pregava uma sociedade ordenada, tendo como base um relacionamento social bem definido. Então, sendo Confúcio considerado como o pai da filosofia chinesa, notadamente pelos aspectos morais e políticos por ele suscitados, onde se ressaltavam a virtude e a lealdade em todos os níveis da sociedade. De maneira que, o Confuncionismo prevaleceu na educação vietnamita desde os tempos feudais até as primeiras décadas do século XX. Por sua vez, Ho Chi Minh elaborou uma forma de pensamento na qual se fundiam as ideias marxistas e os ensinamentos tradicionais de Confúcio.
Link: https://pt.wikipedia.org/wiki/Confucionismo
Capa da revista

v. 6, n. 1 (2014)

Imagem da capa: "Saint Paul preaching in Athens" de Raffaello Sanzio da Urbino (1515). De acordo com a tragédia grega clássica, Orestes matou Egisto, amante de sua genitora, Clitemnestra, com um único golpe de espada. Em seguida, cravou um punhal entre os seios de sua mãe. Mas, o que teria levado Orestes a cometer esse duplo assassinato, especialmente um matricídio? Este personagem mitológico, assumiu publicamente a autoria de tais crimes, sendo levado à julgamento no Areópago, supremo tribunal sagrado da época, tendo como juíza Minerva, que deu seu voto decisivo, de desempate, que hoje chamamos VOTO DE MINERVA. Assim, como Deusa da Sabedoria, pronunciou em grego a correspondente frase latina in dubio pro reu, votando oralmente pela absolvição do acusado.
Link:http://artegregaanglo.blogspot.com.br/2015/06/deuses-gregos- todos-postam-atividade.html

2013

Capa da revista

v. 5, n. 2 (2013)

Imagem da capa: “O Julgamento de Salomão”, obra de Frederic Henri Schopin (1804-1880), sendo uma poderosa imagem antissacrificial do Antigo Testamento. O Francês René Girard (1923-2015), desenvolveu importantes textos contextualizando aspectos religiosos com a perspectiva do sacrifício, entendendo o Julgamento de Salomão como uma relevante virada epistemológica com repercussões na modernidade contemporânea.
Link:http://pt.wahooart.com/@@/A25T39-Frederic%20Henri%20Schopin-O%20Julgamento%20de%20Salom%C3%A3o
Capa da revista

v. 5, n. 1 (2013)

Imagem da capa: Galileu diante do Santo Ofício, pintura do século XIX de Joseph-Nicolas Robert-Fleury. Galileu Galilei foi julgado por heresia, tendo inicialmente a igreja apreciado a descoberta das Luas de Júpiter, mas quando este cientista sugeriu que a Terra girava em torno do Sol, foi acusado de herege e intimado a comparecer ao Tribunal da inquisição em Roma, tendo sido sentenciado à prisão perpétua, que posteriormente foi reduzida para prisão domiciliar permanente, em sua vila, em Arcetri, onde morreu em 1642.
Link: http://novopol.ru/history.html

2012

Capa da revista

v. 4, n. 2 (2012)

Imagem da capa: Corpus Juris Civilis - , Imagem do Corpus Juris Civilis representado pela Deusa da Justiça, que reúne os atributos da espada e das medidas, tendo logo abaixo do trono o retrato do Imperador Justiniano, que juntos formam o Livro da Justiça. Frontispício assinado em talhe doce "G. van der Gouwen sculpsit", o primeiro vol. o Corpus Juris Civilis. - Editio nova ... - Amsterdam: sumptibus Societatis, 1681. - 8 ° [ FA passas 136/1].
Link: http://www.fondiantichi.unimo.it/fa/giustizia/cj1681.html
Capa da revista

v. 4, n. 1 (2012)

Imagem da capa: Código de Hamurábi - , detalhe da coluna em basalto negro, onde mostra Hamurábi (à esquerda) adorando o Deus-Sol Shamashi, exposto no Museu do Louvre (Paris).
Link:http://www.thelatinlibrary.com/imperialism/notes/hammurabi.html

2011

Capa da revista

v. 3, n. 2 (2011)

Imagem da capa: A Escola de Atenas (detalhe que mostra Platão, Aristóteles e demais filósofos da época reunidos, onde o primeiro porta a obra Timeu e ao apontar para cima faz referência ao universo das ideias; já o segundo segura a Ética e sua mão representa o plano terrestre), de Rafael Sanzio, realizada na Stanza della Segnatura, sob encomenda do vaticano, pintada entre 1509 – 1511, Palácio Apostólico, Vaticano.
Link:http://olhares.uol.com.br/escola_de_atenas_de_rafael_vaticano_foto992177.html
Capa da revista

v. 3, n. 1 (2011)

Imagem da capa: A morte de Sócrates, de Jacques-Louis David (1787), Metropolitan Museum of Art, Nova Iorque.
Link: https://opiniaocentral.wordpress.com/2014/01/06/o-julgamento-e-a-morte-de-socrates/

2010

Capa da revista

v. 2, n. 2 (2010)

Imagem da capa: Os Doze Deuses Olímpicos por Nicolas-André Monsiau, em finais do século XVIII.
Link : https://pt.wikipedia.org/wiki/Deuses_ol%C3%ADmpicos