REFLEXOS DE LIMITAÇÕES INSTITUCIONAIS: A QUESTÃO DE GÊNERO NA MINUSTAH

Autores

  • Stella Maria Vargas Resende

Palavras-chave:

Organização das Nações Unidas, Operações de Paz, Gênero, Brasil, MINUSTAH

Resumo

O artigo discute, a partir do estudo de caso da Missão das Nações Unidas para Estabilização do Haiti, a efetividade da Organização das Nações Unidas no tratamento da questão de gênero em Operações de Paz, e pondera os esforços de militares e civis brasileiros para o cumprimento dessa agenda, com destaque para a presença de mulheres militares. Para tal, analisa as Resoluções do Conselho de Segurança relacionadas, além de operacionalizar revisão bibliográfica, documentos oficiais da Organização e entrevistas.

Referências

CARPENTER, R. C. (2005) Women, Children and Other Vulnerable Groups: Gender, Strategic

Frames and the Protection of Civilians as a Transnational Issue. International Studies Quarterly,

(2): 295-334.

CHARLES, C. (1995) Gender and Politics in Contemporary Haiti: The Duvalierist State,

Transnationalism, and the Emergence of a New Feminism (1980-1990). Feminist Studies, 21 (1):

-64.

CSAKY C. (2008) No one to turn to: the under-reporting of child sexual exploitation and abuse by

aid workers and peacekeepers, publicado em Refworld.org

[https://www.refworld.org/docid/483c2a822.html ]. Disponibilidade: 13/06/2019.

CONSELHO DE SEGURANÇA DAS NAÇÕES UNIDAS. (2000) Resolução 1325, publicado em

UN.org [http://www.un.org/en/ga/search/view_doc.asp?symbol=S/RES/1325(2000)].

Disponibilidade: 22/06/ 2017.

______. (2004) Resolução 1542, publicado em UN.org

[http://www.un.org/en/ga/search/view_doc.asp?symbol=S/RES/1542(2004)]. Disponibilidade:

/06/2017.

______. (2004) Resolução 1576, publicado em UN.org

[http://www.un.org/en/ga/search/view_doc.asp?symbol=S/RES/1576(2004)]. Disponibilidade:

/06/2017.

______. (2005) Resolução 1601, publicado em UN.org

[http://www.un.org/en/ga/search/view_doc.asp?symbol=S/RES/1601(2005)]. Disponibilidade:

/06/2017.

______. (2005) Resolução 1608, publicado em UN.org

[http://www.un.org/en/ga/search/view_doc.asp?symbol=S/RES/1608(2005)]. Disponibilidade:

/06/2017.

______. (2006) Resolução 1658, publicado em UN.org

[http://www.un.org/en/ga/search/view_doc.asp?symbol=S/RES/1658(2006)]. Disponibilidade:

/06/2017.

______. (2007) Resolução 1702, publicado em UN.org

[http://www.un.org/en/ga/search/view_doc.asp?symbol=S/RES/1702(2006)]. Disponibilidade:

/06/2017.

______. (2007) Resolução 1743, publicado em UN.org

[http://www.un.org/en/ga/search/view_doc.asp?symbol=S/RES/1743(2007)]. Disponibilidade:

/06/2017.

______. (2007) Resolução 1780, publicado em UN.org

[http://www.un.org/en/ga/search/view_doc.asp?symbol=S/RES/1780(2007)]. Disponibilidade:

/06/2017.

______. (2008) Resolução 1840, publicado em UN.org

[http://www.un.org/en/ga/search/view_doc.asp?symbol=S/RES/1840(2008)]. Disponibilidade:

/06/2017.

______. (2009) Resolução 1892, publicado em UN.org

[http://www.un.org/en/ga/search/view_doc.asp?symbol=S/RES/1892(2009)]. Disponibilidade:

/06/2017.

______. (2010) Resolução 1908, publicado em UN.org

[http://www.un.org/en/ga/search/view_doc.asp?symbol=S/RES/1908(2010)]. Disponibilidade:

/06/2017.

______. (2010) Resolução 1927, publicado em UN.org

[http://www.un.org/en/ga/search/view_doc.asp?symbol=S/RES/1927(2010)]. Disponibilidade:

/06/2017.

______. (2010) Resolução 1944, publicado em UN.org

[http://www.un.org/en/ga/search/view_doc.asp?symbol=S/RES/1944(2010)]. Disponibilidade:

/06/2017.

______. (2011) Resolução 2012, publicado em UN.org

[http://www.un.org/en/ga/search/view_doc.asp?symbol=S/RES/2012(2011)]. Disponibilidade:

/06/2017.

______. (2012) Resolução 2070, publicado em UN.org

[http://www.un.org/en/ga/search/view_doc.asp?symbol=S/RES/2070(2012)]. Disponibilidade:

/06/2017.

______. (2013) Resolução 2119, publicado em UN.org

[http://www.un.org/en/ga/search/view_doc.asp?symbol=S/RES/2119(2013)]. Disponibilidade:

/06/2017.

______. (2014) Resolução 2180, publicado em UN.org

[http://www.un.org/en/ga/search/view_doc.asp?symbol=S/RES/2180%20( 2014)]. Disponibilidade:

/06/2017.

______. (2015) Resolução 2243, publicado em UN.org [http://undocs.org/S/RES/2243(2015)].

Disponibilidade: 24/06/2017.

______. (2016) Resolução 2313, publicado em UN.org [http://undocs.org/S/RES/2313(2016)].

Disponibilidade: 24/06/2017.

______. (2017) Resolução 2350, publicado em UN.org [http://undocs.org/S/RES/2350(2017)].

Disponibilidade: 24/06/2017.

COSTA, I. M. F. (2018) A presença de mulheres militares na MINUSTAH: contexto, expectativas e

repercussões. Doutrina Militar Terrestre em Revista, 1 (13): 6-19.

GIANNINI, R. A. (2014) Promover gênero e consolidar a paz: a experiência brasileira, publicado

em Igarapé.org [https://igarape.org.br/wp-content/uploads/2013/05/AE-09_PROMOVERGENERO-E-CONSOLIDAR-A-PAZ.pdf]. Disponibilidade: 28/12/2016.

______. (2015) Da política à implementação: preenchendo as lacunas para a promoção de uma

abordagem de gênero no Haiti. In HAMANN, E.P. (org.). Brasil e Haiti: reflexões sobre os 10 anos

da missão de paz e o futuro da cooperação após 2016. Rio de Janeiro: Instituto Igarapé, 69-77.

GIANNINI, R. A. et al. (2017) Situações extraordinárias: a entrada de mulheres na linha de frente

das Forças Armadas brasileiras, publicado em Igarapé.org [https://igarape.org.br/mulheres- forcasarmadas/pt/]. Disponibilidade: 10/11/2017.

GIANNINI, R. A.; COSTA, I. M. F. (2017) A incorporação de uma perspectiva de gênero pelo

Brasil na MINUSTAH. In:HAMANN, E. P. & TEIXEIRA, C. A. R. (org.). A participação do

Brasil na MINUSTAH (2004-2017): percepções, lições e práticas relevantes para futuras missões.

Rio de Janeiro: CCOPAB/Instituto Igarapé, 75-83.

HAITI. Código penal, publicado em Wipo.int

[http://www.wipo.int/edocs/lexdocs/laws/fr/ht/ht010fr.pdf]. Disponibilidade: 25/06/2018.

HAMANN, E. et al. (2017) Confiança em desenvolvimento: o Brasil e os projetos de impacto

rápido. Rio de Janeiro: Instituto Igarapé.

HENDRICKS, C.; HUTTON, L. (2008) Defence, reform and gender. In BASTICK, M. &

VALASEK, K. (ed.). Gender and security sector reform Toolkit. Geneva Centre for the

Democratic Control of Armed Forces (DCAF), publicado em Dcaf.ch

[http://www.dcaf.ch/sites/default/files/imce/GSSR%20Toolkit/EN_Tool%2 03.pdf].

Disponibilidade: 10/11/2017.

JENNINGS, K. M. (2014) Service, sex, and security: Gendered peacekeeping economies in Liberia

and the Democratic Republic of the Congo. Security Dialogue, 45 (4): 313-30.

LESSA, M. A. G. (2007) A Participação dos contingentes do exército brasileiro na Missão de

Estabilização das Nações Unidas no Haiti (MINUSTAH). Dissertação de Mestrado em

Administração Pública, apresentada à Fundação Getúlio Vargas (Orientador: Prof. Dr. Luiz Carlos

do Carmo Motta).

MARIUZZO, P. (2017) Mulheres nas Forças Armadas desafiam o conceito de soldado. Revista

pré-Univesp, publicado em Pre.univesp.br [http://pre.univesp.br/mulheres-nas-forcas-armadasdesafiam-conceito-de-soldado#.WGJwe_krK00]. Disponibilidade: 28/12/2016.

MATOS, D. J. et al. (2016) Mulheres nas Forças Armadas: Desenvolvimento Histórico-Jurídico

da Participação Feminina na Defesa Nacional, publicado em Defesa.gov.br

[http://www.defesa.gov.br/arquivos/ensino_e_pesquisa/defesa_academia/cadn/artigos/XIII_cadn/m

ulheres_nas_forcas_armadas-

_desenvolvimento_historicojuridico_da_participacao_feminina_na_defesa_nacional_final_(1)].

Disponibilidade: 28/12/2016.

MENDONÇA, M. V.. (2017) Brasil no Haiti, um caso de sucesso: uma análise da missão brasileira

no Haiti. In HAMANN, E. P. & TEIXEIRA, C. A. R. (org.). A participação do Brasil na

MINUSTAH (2004-2017): percepções, lições e práticas relevantes para futuras missões. Rio de

Janeiro: CCOPAB/Instituto Igarapé, 58-65.

NAÇÕES UNIDAS NO BRASIL (2016) Ações humanitárias devem incluir igualdade de gênero

em suas estratégias, destaca coordenador da ONU, publicado em Nacoesunidas.org

[https://nacoesunidas.org/acoes-humanitarias-devem-incluir-igualdade-de-genero-em-suasestrategias-destaca-coordenador-da-onu/]. Disponibilidade: 29/12/2016.

ONU (2013). Convenção Interamericana para Prevenir, Punir e Erradicar a Violência Contra

a Mulher, publicado em Onumulheres.org [http://www.onumulheres.org.br/wpcontent/uploads/2013/03/convencaobelem1994.pdf]. Disponibilidade: 22/06/2018.

ONU NEWS. (2017) Haiti: ONU afirma que modelo da MINUSTAH pode ser replicado no

mundo, publicado em News.un.org [https://news.un.org/pt/story/2017/06/1588831-haiti-onuafirma-que-modelo-da-minustah-pode-ser-replicado-no-mundo]. Disponibilidade: 25/06/2018.

REBELO, T. R.. (2012) Lentes de gênero para as missões de paz: desconstrução de discursos e

reflexões sobre práticas generificadas, publicado em Hdl.handle.net

[http://hdl.handle.net/11449/109232]. Disponibilidade: 12/07/2019.

RESENDE, S. M. V. (2017) Uma questão de gênero: Mulheres, Forças Armadas e Operações de

Paz. Cadernos de Relações Internacionais, 11 (2): 76-95.

SILVA, C. R. da. (2008) Gênero, Hierarquia e Forças Armadas: um estudo etnográfico acerca da

presença de mulheres nos quartéis. Associação Brasileira de Antropologia, publicado em

[http://www.abant.org.br/conteudo/000NOTICIAS/Premios/LeviStrauss/cristina.pdf].

Disponibilidade: 10/11/2016.

UNITED NATIONS DEPARTMENT OF PEACEKEEPING OPERATIONS AND DEPARMENT

OF FIELD SUPPORT. (2010) DPKO/DFS Guidelines: integrating a gender perspective into the

work of the United Nations military in peacekeeping operations, publicado em UN.org

[http://www.un.org/en/peacekeeping/documents/dpko_dfs_gender_military_perspective.pdf].

Disponibilidade: 10/11/2017.

______. (2014) DPKO/DFS Gender Forward Looking Strategy 2014-2018. Nova York: United

Nations, publicado em Peacekeeping.un.org [https://peacekeeping.un.org/sites/default/files/dpkodfs-gender- strategy.pdf]. Disponibilidade: 25/06/2018.

_______. (2013) Policy - Quick Impact Projects (QIPs), publicado em Unocha.org

[https://www.unocha.org/sites/dms/Documents/DPKO_DFS_revised_QIPs_2013.pdf].

Disponibilidade: 25/06/2018.

Publicado

2022-11-14