DIFICULDADES DA COMUNIDADE SURDA NO ATENDIMENTO EM SERVIÇOS DE ATENÇÃO BÁSICA

UMA REVISÃO NARRATIVA

Autores

  • Maria Aparecida de Sousa Coelho Instituto Federal da Paraíba
  • Maria Clerya Alvino Leite Instituto Federal da Paraíba

Palavras-chave:

Comunicação, Língua Brasileira de Sinais, Surdos

Resumo

O presente estudo teve como objetivo investigar, na literatura, as dificuldades da comunidade surda no atendimento em serviços de atenção básica. O tema foi abordado mediante a percepção de que os surdos estão deixando de procurar os serviços de saúde, porque não são compreendidos pelos trabalhadores que atuam nas Unidades Básicas de Saúde. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica, do tipo revisão narrativa, de trabalhos já publicados entre 2015 e 2020. Os resultados apontam a dificuldade de comunicação, como a principal barreira no atendimento ao serviço de saúde, além de: desistência do atendimento, falta de profissionais preparados para receber esses usuários, falta de intérpretes de Libras, e o tempo de espera. Conclui-se que capacitar trabalhadores com curso básico de Libras, incluir como componente curricular obrigatório a Libras nos cursos superiores da área de saúde, e produzir materiais informativos em Libras nas unidades de saúde ajudam na comunicação surdo/ouvintes, além da utilização dos aplicativos proDeaf e Hand Talk, para tradução do português para Libras para que, de fato, haja a inclusão dos surdos no sistema de saúde pública.

Biografia do Autor

Maria Aparecida de Sousa Coelho, Instituto Federal da Paraíba

Especialista em Libras. 

Referências

ABNT NBR 6022 (2018). Artigo em publicação periódica técnica e/ou científica, p.1-12.

Bernardo, W. M., Nobre, M. R. C., & Jatene, F.B (2004). A prática clínica baseada em evidências. Parte II: buscando as evidências em fontes de informação. Revista da Associação Médica Brasileira, 50(1), 1-9.

Brasil. Ministério da Educação (2002). Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre e a Língua Brasileira de Sinais – Libras e dá outras providências. Diário Oficial da União: seção 1,

Brasília, DF.

Dias, E. A. D., Medeiros, R. C., Melo, A. C., Ferreira, V. D., Bezerra, A. M. F., & Nunes, E. M (2018). Dificuldades de comunicação dos profissionais da atenção primária à saúde com o usuário surdo. Temas em Saúde, 342-355.

França, E. G., Pontes, M. A., Costa, G. M. C., & França, I. S. X (2016). Dificuldades de profissionais na atenção à saúde da pessoa com surdez severa. Ciencia y Enfermeria, 22(3), 107-116.

Gil, A.C (2017). Como elaborar projetos de pesquisa (6 nd ed). São Paulo: Atlas.

Lessa, R. T. C., & Andrade, E. G. S. (2016). Libras e o atendimento ao cliente surdo no âmbito da saúde. Revista de Divulgação Científica Sena Aires, (5)2, 95-104.

López, M. H., Griebeler, W. R., Vergara., & L. G. L (2020). Barreiras de acessibilidade enfrentadas por pessoas surdas no setor de ser viços: uma revisão integrativa da literatura. Saber humano, 10 (17), 165-191.

Magrini, A. M., & Santos, T. M. M (2014). Comunicação entre funcionários de uma unidade de saúde e pacientes surdos: um problema? Revista Distúrbios da Comunicação, 26(3), 550-558.

Marconi, M. de A., & Lakatos, E. M (2017). Fundamentos da Metodologia Científica (8 nd ed).

São Paulo: Atlas.

Nascimento, G. B., Fortes, L. O., & Kessler, T. M (2015). Estratégias de comunicação como dispositivo para o atendimento humanizado em saúde da pessoa surda. Saúde (Santa Maria), 41(2), 241-250.

Nascimento, I. C (2019). Acesso à saúde e os direitos das pessoas surdas: uma revisão bibliográfica. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Saúde Coletiva) – Instituto de Estudos em Saúde Coletiva, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

Nóbrega, J. D., Munguba, M. C., & Pontes, R. J. S (2017). Atenção à saúde e surdez: desafios para implantação da rede de cuidados à pessoa com deficiência. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, 30(3), 1-10.

Oliveira, Y. C. A., Celino, S. D. M., França, I. S. X., Pagliuca, L. M. F., & Costa, G. M. C (2015). Conhecimento e fonte de informações de pessoas surdas sobre saúde e doença. Interface – Comunicação, Saúde, Educação, 19(54), 549-560.

Ramos, T. S., & Almeida, M. A. P. T (2017). A importância do ensino de Libras: relevância para profissionais de saúde. Id on Line Revista Multidisciplinar e de Psicologia, 10(33), 116-126.

Rother, E. T (2007). Revisão sistemática x revisão narrativa. Acta Paulista de Enfermagem, 20(2), p.1-2.

Sousa, E. M., & Almeida, M. A. P. T (2017). Atendimento ao surdo na atenção básica: perspectiva da equipe multidisciplinar. Id on Line Revista Multidisciplinar e de Psicologia, 10(33), 72-82.

Saraiva, F. J. C., Moura, R. S., Tavares, N. V. S., Lucena Júnior, B., Santos, I. S., & Santos, R. F. M (2017). O silêncio das mãos na assistência aos surdos nos serviços de saúde pública. Revisita Eletrônica Multidisciplinar, 2(17), 94-104.

Silva, R. P., &Almeida, M. A. P. T (2017). Relação comunicativa entre o profissional de saúde e os surdos: uma revisão bibliográfica. Id on Line Revista Multidisciplinar e de Psicologia, 11(37), 653-668.

Silva, J. A., Cancilieri, K. R., & Soares, M. S. C (2019). Surdez e saúde pública: pesquisa sobre o perfil epidemiológico de frequentadores da Associação de Surdos de Governador Valadares. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Enfermagem), Universidade Vale do Rio Doce, Governador Valadares.

Valente, L. S (2017). A acessibilidade do surdo nas Unidades Básicas de Saúde na cidade de Parintins Amazonas. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Enfermagem), Universidade do Estado do Amazonas, Amazonas.

Downloads

Publicado

2022-06-28