ESTUDO DE CASO DO PROCESSO DE INCLUSÃO E APRENDIZAGEM DE ALUNOS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NO ENSINO REGULAR

Autores

  • Diana Sampaio Braga Universidade Estadual da Paraíba
  • Marta Valéria Silva Araújo Lira
  • Antonio Luiz da Silva

Palavras-chave:

Deficiência intelectual, Estudo de Caso, Inclusão, Aprendizagem

Resumo

O presente trabalho teve como objetivo investigar o processo de inclusão escolar de crianças com deficiência intelectual, para tentar entender e auxiliar no desenvolvimento cognitivo, social e afetivo, identificado durante a realização da pesquisa através da apresentação de métodos e estratégias de intervenção capazes de possibilitar uma melhor interação, participação e desenvolvimento nas atividades. Para esse estudo utilizamos a metodologia de estudo de caso, com observação participante. Neste sentido, foram realizadas visitas em uma escola regular, construindo um diário de campo para analisar os dados na perspectiva histórico-cultural. A partir do estudo ressaltamos que as reflexões apontam a existência de um longo caminho a ser percorrido, pela sociedade e pela educação, em uma proposta de inclusão, para que a pessoa com deficiência seja tratada como um sujeito ativo e participante na construção de sua própria história.

Biografia do Autor

Diana Sampaio Braga, Universidade Estadual da Paraíba

Possui graduação em Licenciatura em Psicologia pela Universidade Estadual da Paraíba (2003), mestrado em Psicologia (Psicologia Social) pela Universidade Federal da Paraíba (2007) e doutorado em Psicologia (Psicologia Social) pela Universidade Federal da Paraíba (2016). Atualmente é docente da Universidade Estadual da Paraíba 

Marta Valéria Silva Araújo Lira

Graduada em Pedagogia na Universidade Estadual da Paraíba - UEPB. Tem experiência na área de educação, com ênfase em Educação Infantil. Especialização em Educação Infantil - FIP. Especialização em Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva- UEPB. 

Antonio Luiz da Silva

Doutor em Psicologia-UFRN, Brasil. Mestre em Antropologia-UFPB, Brasil. Especialista em Gestão Escolar Faculdade Kúrios-CE, Brasil.

Referências

Alles, E. P., Castro, S. F., Menezes, E. C. P., & Dickel, C. A. G. (2019, julho, setembro). (Re)Significações no Processo de Avaliação do Sujeito Jovem e Adulto com Deficiência Intelectual. Rev. bras. educ. espec. 25(3), p.12.

American Psychiatric Association. (2014). Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-V). 5ª edição. Porto Alegre: Artmed.

Andrade, S. R., Ruoff, A. B., Piccoli, T., Schmitt, M. D., Ferreira, A., & Xavier, A. C. A. (2017). O estudo de caso como método de pesquisa em enfermagem: uma revisão integrativa. Texto Contexto Enferm, 26(4), 2-12. http://dx.doi.org/10.1590/0104-07072017005360016.

Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília de 1988. Recuperado de Constituição da República Federativa do Brasil (senado.leg.br).

Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CEB n.017/2001. Ministério da Educação. 2001. Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica. Recuperado de Livro (mec.gov.br).

Declaração de Salamanca. Sobre Princípios, Políticas e Práticas na Área das Necessidades Educativas Especiais. 7 e 10 junho 1994. Recuperado de Microsoft Word - Documento3 (mec.gov.br).

Decreto 7.612 de 17 de novembro de 2011. Institui o Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência - Plano Viver sem Limite. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ ccivil_03/_ato2011-2014/2011/decreto/d7612.htm.

Decreto Legislativo n 186/2008, de 09 de julho de 2008. Convenção sobre os Direitos das pessoas com deficiência. ONU. Recuperado de DLG-186-2008 (planalto.gov.br)

Portaria nº 555/2007, prorrogada pela Portaria nº 948/2007, de 07 de janeiro de 2008, entregue ao Ministro da Educação em 07 de janeiro de 2008. Política Nacional de Educação Especial. Recuperado de EDUCAO INCLUSIVA: POLTICA NACIONAL DE EDUCAO ESPECIAL (mec.gov.br)

Freitas, M. T. A. (2010) Discutindo sentidos da palavra intervenção na pesquisa de abordagem histórico-cultural. Ramos, B. S. (Orgs.). Fazer pesquisa na abordagem histórico-cultural: metodologias em construção. Juiz de Fora, MG: Editora UFJF. Brasil.

Goode, W. J., & Hatt, P. K. (1979). Métodos em pesquisa social. (5a ed.) São Paulo: Companhia Editora Nacional.

Ke, X., Liu, J., Silva, F. D., Soares, I. F. Z. & Cavalcante, R. R. V. (2015) International Association for Child and Adolescent Psychiatry and Allied Professions.

Lei 13.146, de 6 de julho de 2015. Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência – Estatuto da Pessoa com Deficiência. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm.

Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Recuperado de Art. 47 da Lei de Diretrizes e Bases - Lei 9.394/96 (jusbrasil.com.br).

Lopes, M., Fabris, E. (2013). Inclusão e educação. Belo Horizonte: Autêntica.

May, Tim. (2004) Pesquisa social: questões, métodos e processos. Porto Alegre: Artmed.

Ribeiro, R. B. A. & Lucena, R. F. (2017). Quebrando barreiras: o intercruzamento entre a formação continuada e a inclusão escolar no atendimento Educacional Especializado (AEE). Rev. Incl. Num. Especial, (ISSN 0719-4706), 27-40.

Sampaio, L. F. (2017) Educação inclusiva: uma proposta de ação na licenciatura em Química. (Dissertação de Mestrado Profissionalizante em Ensino de Ciências) Universidade de Brasília, Brasília. Brasil.

Resolução SE nº 11, de 31 de janeiro de 2008. Resolução SE nº 31. Recuperado de Resolução SE n.º 11/2008 (edunet.sp.gov.br).

Sarmento, M. J. (2004). As culturas da infância nas encruzilhadas da segunda modernidade. In: Sarmento, M. J., & Cerisara, A. B. Crianças e miúdos: perspectivas sócio-pedagógicas da infância e educação. Universidade do Amazonas, Porto: ASA. Brasil.

Silva, F. G. (2011) Inclusão escolar de alunos com deficiência intelectual: o atendimento intelectual especializado (AEE) em discussão. Dissertação de mestrado. Universidade Estadual do Ceará, UECE, Fortaleza. Brasil.

Ventura, M. M. (2007). O Estudo de Caso como Modalidade de Pesquisa. Rev. SOCERJ. 20(5), 383-386.

Vigotsky, L. S. (1997/2001). Formação Social da Mente. São Paulo: Martins Fontes. Pensamento e linguagem.

Vygotsky, L. S. (1979/1984). Pensamento e linguagem. Trad. M. Resende, Lisboa, Antídoto. A formação social da mente. Trad. José Cipolla Neto et alii. São Paulo, Livraria Martins Fontes.

Vygotsky, L. S. (2003). Psicologia pedagógica – edição comentada. Guilhermo Blanck (org.). Trad. Claudia Schilling. Porto Alegre: Artmed.

Downloads

Publicado

2022-10-04