DISCUTINDO A LITERATURA SOBRE INCLUSÃO DE PESSOAS SURDAS NO AGRESTE DE PERNAMBUCO

Autores

  • Phagner Ramos Tavares UFPE

Palavras-chave:

inclusão, deficiência-auditiva, estudos surdos

Resumo

Objetivo: identificar na literatura trabalhos sobre a educação no Agreste de Pernambuco, centrando-se na inclusão de pessoas surdas, e a partir destes trabalhos refletir sobre os limites e possibilidades da prática atual. Método: Realizou-se uma revisão sistemática da literatura nas plataformas Scielo, Pepsic e periódicos capes, e nos Anais do Congresso Nacional de Educação (CONEDU) com os descritores educação e agreste. Resultados: encontrando-se 13 trabalhos, estes centrados na educação em saúde, formação de professores, política educacional, educação popular e do campo. Esses trabalhos apontam para a escassez de trabalhos, e a indisponibilidade de formação inicial e continuada na região, além da precariedade da profissão de professor e da estrutura escolar regular. Conclusões: Visibiliza-se assim os principais desafios da região: defasagem de formação, déficit estrutural e financeiro das escolas e impasses entre os diferentes níveis de gestão (municipal, estadual e federal). Apesar das dificuldades, há o reconhecimento da diferença surda como questão linguística, e isso é um importante avanço, que demonstra as reverberações desse discurso. Isso, exemplifica-se em inclusões ‘parciais’ dos estudantes surdos do agreste, que aparentemente tornam-se sinalizadores em espaços reclusos sem conseguirem comunicarem-se efetivamente com professores e colegas ou acabam por serem oralizados para aproximarem-se da normalidade.

Referências

ALEPE - Portal Da Legislação Estadual De Pernambuco. (2015). LEI Nº 15.533, DE 23 DE JUNHO DE 2015. Aprova o Plano Estadual de Educação - PEE. Recuperado 2 de julho de 2021, de http://legis.alepe.pe.gov.br

Arruda, C. A., & Santos, A. L. F. (2017). Relações colaborativas entre a união e as municipalidades: Faces de uma política em ação. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação - Periódico científico editado pela ANPAE, 33(2), 377–397. https://doi.org/10.21573/vol33n22017.64645

Barros, C. E. G., Andrade, M. F., & Souza, A. F. (2017). Avaliação da aprendizagem na disciplina de ciências: um estudo em escolas públicas municipais do interior de Pernambuco. Anais do IV Congresso Nacional de Educação. João Pessoa- PB, 1-6. Acesso em 25 de setembro de 2019. Disponível em <https://www.editorarealize.com.br/revistas/conedu/trabalhos/TRABALHO_EV073 _MD4_SA16_ID4574_05092017182858.pdf >

Brasil. (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico.

Brasil. Decreto nº 5.626, de 22 de dezembro 2005. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/index2.php?option=content&do_pdf=1&id=122&banco. Acesso em: 5 de novembro de 2018.

Brasil. Decreto nº 7.612, de 17 de novembro de 2011. Institui o Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência – Plano Viver sem Limite. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ ccivil_03/_Ato2011-2014/2011/Decreto/D7612.htm. Acesso em 20 ago 2014.

Brasil. Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Libras. Disponível em: http://www.libras.org.br/leilibras.htm. Acesso: 5 de novembro de 2018.

Brasil. Lei nº10.639 de 9 de janeiro de 2003. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnicos Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. MEC/SECAD. 2005. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/ 2003/l10.639.htm. Acesso em 05 de novembro de 2019.

Brasil. Secretaria de Educação Especial/MEC. (2008). Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília, DF. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/ docman/dezembro-2014-pdf/16690-politica-nacional-de-educacao-especial-na-perspectiva-da-educacao-inclusiva-05122014. Acesso em: mar. 2018.

Brito, J. S. S., Albuquerque, P, C., & Silva, E. H. (2013). Educação popular em saúde com o povo indígena Xukuru do Ororubá. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, 17(44). https://dx.doi.org/10.1590/S1414-32832013005000002.

Camatti, L., & Lunardi-Lazzarin, M. L. (2010). Cultura e comunidade surda: intersecções e emergência do sujeito pedagógico surdo no espaço escolar. Revista Educação Especial, 23(36), 91-101.

Carvalho, A. V. (2009). Figurações Culturais: Surdos na Contemporaneidade. Relatório de Pesquisa – Faculdade Santa Helena, p. 73.

Carvalho, C. L., Salerno, M. B., & Araújo, P. F. (2015). A educação especial nas leis de diretrizes e bases da educação brasileira: uma transformação em direção à inclusão. Horizontes – Revista de Educação, Dourados - MS, 3(6), 34- 48, jul./dez.

Carvalho, R. E. (2000). A nova LDB e a educação especial. 2a ed. Rio de Janeiro: WVA, p. 142.

Chagas, F. B., Silva, M. C., Nascimento, M. S. S., & Tresena, N. L. (2018). Os desafios da educação inclusiva para surdos na Escola Estadual Frei Cassiano de Comacchio na Cidade de Belo Jardim-Pernambuco. Anais do V Congresso Nacional de Educação, Recife – PE, 1-10, Acesso em 25 de setembro de 2019. Disponível em <https://www.editorarealize.com.br/revistas/conedu/trabalhos/ TRABALHO_EV117_MD1_SA11_ID5719_27082018120938.pdf >

Farias, D. S. C. R., Silva, E, M., Farias, M. S. S., & Araujo, A. F. (2012). Percepção Ambiental dos alunos do 7º e 8o ano de uma escola privada no agreste pernambucano. Caminhos de Geografia, 13(42), 75-81. http://www.seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/ article/ view/16576

Instituto Brasileiro de Geografia E Estatística (2018). Relatório de Estimativa Populacional. Rio de Janeiro: IBGE.

Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixiera. (2018). Censo Escolar: Educação Especial.

Jordão, M. P. S. D., & Wanderley, P. I. B. R. (2014). Adoção de Cidadãos Presos e Formação de Professores para a Prisão: Ações de Fraternidade Política e Direitos, aproximando a extensão universitária da ASCES e da UFPE no agreste pernambucano. Revista Eletrônica de Educação, 8(2), 373–387. https://doi.org/10.14244/19827199668

Leite, M. P., & Lira, A. (2017). Protagonismo Juvenil no Contexto Socioeducativo: Vivências no Espaço Educativo de Liberdade Assistida – Comviva, no Município de Caruaru Agreste pernambucano. Anais do IV Congresso Nacional de Educação. João Pessoa- PB, 1-5. Acesso em 25 de setembro de 2019. Disponível em <https://www.editorarealize.com.br/revistas/ conedu/trabalhos/TRABALHO _EV073_MD4_SA5_ID2553_12092017151724.pdf >

Lima, I. M. S., Sales, S. M., & Barros, V. N. (2020). Formação continuada de professores que ensinam matemática: Um panorama de ações formativas no Vale do Ipojuca—Agreste Pernambucano | REMATEC. v. 15, 284-300, Recuperado 2 de julho de 2021, de http://www.rematec.net.br/ index.php/rematec/article/view/282

Lima, E. S., & Silva, K. N. (2017). Os desafios do trabalho docente na educação profissional da rede estadual de Pernambuco no contexto da avaliação por resultado. Anais do IV Congresso Nacional de Educação. João Pessoa- PB, 1-12. Acesso em 25 de setembro de 2019. Disponível em <https://www.editorarealize.com.br/revistas/conedu/trabalhos/TRABALHO_EV073_MD1_SA2_ID6293 _07092017135753.pdf >

Longman, L. V. (2007). Memórias de surdos. [Recife]: Massangana, p. 166.

Melo, M. A. V. (2019). Ensino em rede municipal: bem distante da Educação do Campo e da Educação Popular. Diversitas Journal, 4(3), 925-929.

Nascimento, L. K. (2006). Identidade e territorialidade: Os quilombos e a educação escolar no Vale do Ribeira [Text, Universidade de São Paulo]. https://doi.org/10.11606/ D.8.2006.tde-01122015-175909

Paiva, G. X., Faria, J., & Chaveiro, N. (2018). O Ensino de Libras nos Cursos de Formação de Professores: Desafios e Possibilidades. Revista Sinalizar. Goiânia, 3(1), 68-80. ISSN: 2448-0797.

Pernambuco (Estado). Lei nº 15.533, 2014. Aprova o Plano Estadual de Educação 2015-2025 e dá outras providências.

Pernambuco (Secretária Estadual de Educação). Relatório Anual de Indicadores 2017: Lei de Responsabilidade Educacional. 2018, p. 195. Acessado em dezembro de 2018, disponível em: http://www.alepe.pe.gov.br/wp-content/uploads/2018/08/RELATORIO-ANUAL-EDUCACAO-2017.pdf

Quadros, R. M. (2012). O “BI” em Bilinguismo na Educação de Surdos. In: FERNANDES, Eulalia (Org.). Surdez e Bilinguismo. 5a ed. Porto Alegre: Mediação.

Ramos, P. (2020). Os significados sobre a surdez para professoras de Venturosa-PE. Dissertação do Programa de Pós-graduação em Psicologia - Universidade Federal de Pernambuco. https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/38706

Ramos, P., & Costa-Fernandez, E. M. (2018). A educação para a diversidade em busca de uma apreensão intercultural da surdez. Cadernos de Gênero e Diversidade. 4(3), 221-243.

Ramos, P., & Costa-Fernandez, E. M. (2018). A Educação Surda em Pernambuco: um olhar intercultural sobre o Município de Venturosa. Anais do V CONEDU – Congresso Nacional de Educação. Recife – PE, 1-11.

Sales, M. P. S., & Machado, L. B. (2017). Trabalho docente: algumas indicações de professores de instituições superiores privadas. Revista Docência do Ensino Superior, Belo Horizonte, 7(2), 238–251, Recuperado em 17 jun. 2021: 10.35699/2237-5864.2017.2293.

Santos, O. A. C. R., & Lage, A. C. (2019). Educação e saberes populares. Revista de Educação Popular, 18(1), 209–221. https://doi.org/10.14393/REP-v18n12019-46165

Santos, S. N., & Cavalcanti, A. M. B. (2016). Barreiras atitudinais: a percepção de professores do Instituto Federal de Pernambuco acerca das pessoas com deficiência. Anais do III Congresso Nacional de Educação. Natal – RN, 1-13. Acesso em 25 de setembro de 2019. Disponível em <https://www.editorarealize.com.br/revistas/conedu/trabalhos/TRABALHO_EV056_MD1_SA14 _ID5367_27072016141905.pdf >

Santos, V. H. S. (2018). Representações Sociais sobre o Processo de Certificação da Indicação Geográfica do Queijo de Coalho no Agreste Pernambucano. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Administração Rural) – Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife.

Sassaki, R. K. (2009). Inclusão: Acessibilidade no lazer, trabalho e educação. Revista Nacional de Reabilitação (Reação). São Paulo, Ano XII, mar./abr.

Silva, F. M. M., Alencar, A. F., Calado, T. M. R., & Melo, I. E. C. (2017). Atuação do coordenador pedagógico no Município De Lagoa do Ouro – Pernambuco. Anais do IV Congresso Nacional de Educação. João Pessoa – PB, 1-10. Acesso em 25 de setembro de 2019. Disponível em <https://www.editorarealize.com.br/revistas/conedu/trabalhos/TRABALHO_EV073_MD1_SA2_ID6339_ 13102017150622.pdf >

Silva, F., & Silva, K. N. P. (2017). Reflexões sobre as relações de gênero em uma escola de referência em ensino médio do interior de Pernambuco. Anais do IV Congresso Nacional de Educação. João Pessoa – PB, 1-9. Acesso em 25 de setembro de 2019. Disponível em <https://www.editorarealize.com.br/revistas/conedu/trabalhos/TRABALHO_EV073_MD1_SA7_ ID8417_16102017152733.pdf >

Silva, M. A. A., & Leal, A. L. (2017). Um estudo sobre resiliência em professores do ensino fundamental do Agreste pernambucano. Anais do IV Congresso Nacional de Educação. João Pessoa-PB, 1-12. Acesso em 25 de setembro de 2019. Disponível em < https://www.editorarealize.com.br/revistas/conedu/trabalhos/TRABALHO_EV073_MD1_SA4_ID4217_08092017230905.pdf >

Silva, R. R., & Duarte, A. M. T. (2016). Os desafios na alfabetização de crianças surdas dos povos indígenas de Pernambuco. Anais do III Congresso Nacional de Educação, 1-13. Acesso em 25 de setembro de 2019. Disponível em <https://www.editorarealize.com.br/revistas/conedu/ trabalhos/TRABALHO_EV056_ MD1_SA14_ID10911_15082016172528.pdf >

Silva, R. R. C., & Silva, R. S. (2017). Espaços não formais: dificuldades encontradas por professores dos anos finais do interior de Pernambuco. Anais do IV Congresso Nacional de Educação, João Pessoa- PB, 1-6. Acesso em 25 de setembro de 2019. Disponível em <https://www.editorarealize.com.br/revistas/conedu/trabalhos/TRABALHO_EV073_MD4_SA16_ ID7196_01102017153407.pdf >

Silva, S. I., Soares, D. S. A., Costa, L. H., Cordeiro, N. M., Correira, K. S. F., & Santos, M. R. (2017). Perfil do professor de matemática do futuro: um estudo sobre a prática docente nas escolas campos de estágio. Anais do IV Congresso Nacional de Educação. João Pessoa- PB, 1-5. Acesso em 25 de setembro de 2019. Disponível em <http://editorarealize.com.br/revistas/conedu/trabalhos/ TRABALHO_EV073_MD4_SA1_ID237_14102017234011.pdf >

Skliar, C. (org). (1998). A surdez: um olhar sobre as diferenças. Porto Alegre: Mediação.

Sobral, J. A. S., Cavalcanti, A. C. N. F., & Sá, C. L. (2017). Um estudo das inter-relações de modelo de educação especial no Município de Floresta – PE. Anais do IV Congresso Nacional de Educação. 1-5. Acesso em 25 de setembro de 2019. Disponível em <https://www.editorarealize.com.br/ revistas/conedu/trabalhos/TRABALHO_EV073_MD4_SA10_ ID9826_16102017122628.pdf >

Sousa, Y. K., Oliveira, R, C. B., & Souza, A, N. (2018). Concepções de manejo de resíduos químicos por parte de um grupo de licenciandos em Química do CAA/UFPE. Revista Docência do Ensino Superior, 8(1), 205–225. https://doi.org/10.35699/2237-5864.2018.2337

Strobel, K. (2008). As imagens do outro sobre a cultura surda. Florianópolis, SC: Editora da UFSC. p. 118.

Valença, O. (2001). Projeto Pegapacapá: saúde, cultura e reprodução no agreste pernambucano. Interface - Comunicação, Saúde, Educação. 5(8), 185-188. https://dx.doi.org/10.1590/S1414-32832001000100024

Vasconcelos, J. B. & Ramos, P. (2018). O ensino especial no interior pernambucano: um relato de caso em Venturosa. Anais do V CONEDU – Congresso Nacional de Educação, 1-8.

Vidal, A. K. L., Tenório, A. P., Brito, B. H., Oliveira, T. B., & Pessoa, I. D. (2009). Conhecimento de Escolares do Sertão Pernambucano sobre o Câncer de Boca. Pesquisa Brasileira em Odontopediatria e Clínica Integrada. 9(3), 283-288.

Downloads

Publicado

2022-09-22