A IMPORTÂNCIA E A VALORIZAÇÃO DO ENSINO EAD

Autores

  • FABIO JOSE ANTONIO SILVA UEL

Resumo

As novas tecnologias trouxeram, a partir da segunda metade do século XX, inovações que provocaram um enorme impacto na sociedade, sendo considerada “era da informação”. Neste início do século XXI aumentaram as instituições de nível superior, os cursos de graduação e pós-graduação em Educação a Distância, favorecidos pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDBEN) n. 9394/96. (Art. 80). Os cursos de Educação a Distância têm como objetivo a inclusão e a acessibilidade ao ensino, onde o EAD assume um papel relevante no contexto educacional, fazendo com que o professor assuma novos papéis e seja indispensável para que haja um bom desempenho dos alunos, o que exige do mesmo uma boa formação e um perfil adequado a essa modalidade. O crescimento contínuo dessa modalidade de ensino é, também, de interesse da ABED (Associação Brasileira de Ensino a Distancia), o que a levou a realizar contínuos Censos, como o de 2012/2013 para observar, através de pesquisa exploratória, essa evolução.

Referências

ABREAD – Anuário Estatístico de Educação Aberta a Distancia (2007). Associação Brasileira de Educação

a Distancia. SP: Instituto Monitor.

Amorim, Maria Fasura de. (2012). A importância do ensino à distância na educação profissional.

Disponível em acesso em: http://fiv.org.br/a-importancia-do-ensino-a-distancia-na-educacaoprofissional/

Alves, Lucinéia. (2011). Educação à distância: conceitos e história no Brasil e no mundo. Disponível em

acesso em: http://www.abed.org.br/revistacientifica/Revista_PDF_Doc/2011/Artigo_07.pdf .

Belloni, M. L. (2001). Educação a Distância. 2 ed. Campinas: Autores Associados.

Brasil. Lei n° 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que dispões sobre a Diretrizes e Bases da Educação.

Disponível em: www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.htm.

Castilho, Ricardo. (2011). Ensino a Distancia – EAD – interatividade e método. SP: Editora Atlas S/A.

Galdino, M. N. D.; Silva, A. C. da.; Kronemberger, L. I.; Martins, H. G. (2012). A gestão da educação no

formato em rede em uma Universidade da região da Baixada Fluminense. IX Simpósio de excelência

em Gestão e Tecnologia.

Litto, Fredric; Formiga, Marcos (orgs.). (2012). Educação a Distancia – o estado da arte. SP: Pearson

Education do Brasil – Empresa Cidadã. 2ª. Edição. Vol.2.

Medeiros, Marilú Fontoura; Faria, Elaine Turk. (2003). Educação à distância: cartografias pulsantes em

movimento. Porto Alegre: EDIPUCRS.

Moran, José Manuel. (2009). Aperfeiçoando os modelos de EAD existentes na formação de professores.

Disponível em: www.doaj.org/article/70da97c388674a22a43bf7c8da044c2

Oliveira, Elza Guimarães. (2003). Educação a Distância na Transição Paradigmática. 2. Ed. São Paulo:

Papirus.

Petri, O. (2000). Autonomia do Aprendiz na Educação a Distância: significados e dimensões. In: PETRI,

O. Educação a Distância: construindo significados. Cuiabá.

SENAC. Educação a distância mantém crescimento de 40% ao ano. Disponível em: www.sp.senac.br/

jsp/default.jsp?newsID=a13247.htm.

Silva, A. C. da. (2004). Escola da linearidade presente à possível hipertextualidade um caminho a ser

trilhado. In: SILVA, A. C. da (Org.). Infovias para a educação. Campinas, SP: Editora Alínea,

Valente, José Armando; Almeida, Maria Elizabeth Bianconcini. (2007). Formação de Educadores a

Distancia e Integração de Mídias. São Paulo: Avercamp.

Downloads

Publicado

2022-06-28