A EXPERIÊNCIA COMO ACONTECIMENTO:

EDMUND HUSSERL, BERNHARD WALDENFELS E JEAN-LUC MARION EM PERSPECTIVA

Autores

Palavras-chave:

Husserl. Waldenfels. Marion. Experiência. Acontecimento.

Resumo

Este artigo explora as abordagens fenomenológicas de Edmund Husserl, Bernhard Waldenfels e Jean-Luc Marion em relação aos conceitos de experiência e acontecimento. A fenomenologia busca descrever a experiência como um fenômeno "dado por si mesmo". Husserl propõe uma investigação radical da experiência, enfatizando o retorno à vivência intencional como base para o conhecimento absoluto. Ele destaca a irredutibilidade da experiência às suas causas e partes, especialmente com a descrição da experiência do estranho. Waldenfels enfoca na singularidade dos acontecimentos e na estranheza inerente à experiência, desafiando concepções convencionais de normalidade e ordem. Sua fenomenologia do estrangeiro explora como a normalidade pode obscurecer a singularidade dos acontecimentos, levando à tendência de nivelar o não-igual com o igual. Por último, Marion aborda o acontecimento como um fenômeno dado que se revela sem causa prévia, doando-se a si mesmo e ultrapassando nossas capacidades constitutivas. Enfatiza a singularidade e imprevisibilidade do acontecimento, concluindo que ele não tem uma razão definida e se doa em excesso, impactando profundamente nossa experiência. Assim, a investigação das convergências e divergências entre esses pensadores destaca a natureza dinâmica e multifacetada da fenomenologia, oferecendo horizontes conceituais que transcendem suas fronteiras convencionais. Waldenfels e Marion, em particular, ampliam nossa compreensão da experiência e do acontecimento ao considerarem sua singularidade e imprevisibilidade, que muitas vezes escapam às nossas categorias habituais de análise. Ao reconhecer a subjetividade como um campo de constante constituição e transformação, essas perspectivas fenomenológicas oferecem uma visão radical sobre a experiência e sua relação com o mundo circundante.

Biografia do Autor

Rudinei Cogo Moor, Universidade Federal de Santa Maria, Brasil

Doutorado, Mestrado e graduação (Licenciatura Plena) em Filosofia. Pesquiso sobre ética e fenomenologia, especialmente na perspectiva da escola da fenomenologia. Os temas mais recorrentes de pesquisa são: subjetividade, alteridade, solipsismo, estranheza, consciência, imparcialidade, intencionalidade e responsividade.

Referências

FABRI, Marcelo. O imprevisível capaz de mudar tudo: anotações sobre o fenômeno do acontecimento. Phenomenology, Humanities and Sciences, v. 2, n. 3, 2021, p. 366-372.

FABRI, Marcelo; GRZIBOWSKI, Silvestre. Introdução à fenomenologia do invisível (o amor, o desejo, a vida). Curitiba: CRV, 2022.

HEIDEGGER, Martin. Ser e Tempo. 10 ed. Tradução revisada e apresentação de Marcia Sá Cavalcante; posfácio de Emmanuel Carneiro Leão. Petrópolis: Vozes; São Paulo: Editora Universitária São Francisco, 2015.

HUSSERL, Edmund. A ideia da fenomenologia. Lisboa: Edições 70, 1986a.

HUSSERL, Edmund. Ideias para uma fenomenologia pura e uma filosofia fenomenológica: introdução geral à fenomenologia pura. Tradução Márcio Suzuki. São Paulo: Ideias & Letras, 2006.

HUSSERL, Edmund. Meditaciones Cartesianas. Segunda edición. Traducción de José Gaos e Miguel García-Baró. México: Fondo de Cultura Económica, 1986b.

HUSSERL, Edmund. Problemas fundamentales de la fenomenología. Edicción y Traducción César Moreno y Javier San Martin. Madrid: Alianza, 1994.

MARION, Jean-Luc. O visível e o revelado. Tradução Joaquim Pereira. São Paulo: edições Loyola, 2010.

MARION, Jean-Luc. Siendo dado: ensayo para una fenomenología de la donación. Traducción de Javier Bassas Vila. Madrid: Síntesis, 2008.

MARION, Jean-Luc. The event, the phenomenon and the revealed. Danish Yearbook of Philosophy. Vol.40, 2005, p. 57-78.

WALDENFELS, Bernhard. El poder de los acontecimientos. Azafea. Revista de Filosofía de la Universidad de Salamanca. Traducción de Reynner Franco. Volumen 6, 2004, p. 139-151.

WALDENFELS, Bernhard. Experience of the Alien in Husserl's Phenomenology, in: Research in Phenomenology. Translated by Anthony J. Steinbock State University of New York - Stony Brook. 20, 1990, p. 19-33.

WALDENFELS, Bernhard. Fenomenología de la experiencia en Edmund Husserl. Areté, v. 29, n. 2, 2017, p. 409-426.

WALDENFELS, Bernhard. Phenomenology of the alien: basic concepts. Translated from the German by Alexander Kozin and Tanja Stähler. Illinois: Northwestern University Press Evanston, 2011.

WALDENFELS, Bernhard. The Equating of the Unequal. Social Imaginaries. Translated by John W.M. Krummel. V.1, n.1.2, 2015, p. 92-102.

Publicado

2024-06-26

Como Citar

Moor, R. C. (2024). A EXPERIÊNCIA COMO ACONTECIMENTO: : EDMUND HUSSERL, BERNHARD WALDENFELS E JEAN-LUC MARION EM PERSPECTIVA. REVISTA INSTANTE, 6(2), 72–90. Recuperado de https://revista.uepb.edu.br/revistainstante/article/view/3170

Edição

Seção

Artigos