As Cartas jesuíticas e os gêneros do discurso

Autores

Palavras-chave:

Cartas jesuítucas, Gêneros do discurso, Bakhtin

Resumo

Este trabalho, de viés discursivo, apresenta reflexões que se inserem no estudo das letras coloniais brasileiras. O objetivo principal é o de investigar e discutir o gênero epistolar como um gênero discursivo, como é compreendido na perspectiva bakhtiniana. Para isto, faz-se uma análise de alguns dos textos fundamentais de Alcir Pécora e de João Adolfo Hansen nos quais as cartas jesuíticas foram tratadas. Metodologicamente, portanto, a pesquisa trabalha com um corpus de arquivo, ou seja, com enunciados presentes em textos já publicados em livros, tomando-os em chave comparatista. O resultado fundamental é a compreensão das cartas jesuíticas como um gênero discursivo, o que permite entender as condições de produção dos enunciados jesuíticos e combater certo anacronismo interpretativo. Por fim, avança-se uma hipótese da importância da noção de sujeito discursivo para a correta compreensão da representação dos indígenas na epistolografia colonial.

Biografia do Autor

Cesar Augusto de Oliveira Casella, Universidade Estadual de Goiás (UEG/Campus Cora Coralina)

Mestre em Linguística Aplicada (IEL/Unicamp).

Professor de Língua Portuguesa e Linguística (UEG/Campus Cora Coralina).

Referências

BAKHTIN, M. Os gêneros do discurso. 1 ed. Organização, tradução, posfácio e notas de Paulo Bezerra. São Paulo/SP: Editora 34, 2016.

BRAIT, B. Estilo. In: BRAIT, B. (org.). Bakhtin: conceitos-chave. 4 ed. São Paulo/SP: Contexto, 2007.

BRAIT, B.; MELO, R. de. Enunciado/enunciado concreto/enunciação. In: BRAIT, B. (org.). Bakhtin: conceitos-chave. 4 ed. São Paulo/SP: Contexto, 2007.

FIORIN, J. L. Introdução ao pensamento de Bakhtin. São Paulo/SP: Ática, 2008.

HANSEN, J. A. O nu e a luz: cartas jesuíticas no Brasil. Nóbrega – 1549-1558. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros. São Paulo/SP, n. 38, pp. 87-119, 1995.

HANSEN, J. A. Para ler as cartas do Pe. Antônio Vieira (1626-1697). Teresa Revista de Literatura Brasileira. São Paulo/SP, n. 8/9, pp. 264-299, 2008.

HANSEN, J. A. Agudezas seiscentistas e outros ensaios. Organização de Cilaine Alves Cunha e Mayra Laudanna. São Paulo/SP: Editora da Universidade de São Paulo, 2019.

MACHADO, I. Gêneros discursivos. In: BRAIT, Beth (org.). Bakhtin: conceitos-chave. 4 ed. São Paulo/SP: Contexto, 2007.

MAINGUENEAU, D. Termos-chave da análise do discurso. Tradução de Márcio Venício Barbosa e Maria Emília Amarante Torres Lima. Belo Horizonte/MG: Ed. UFMG, 1998.

PÉCORA, A. A arte das cartas jesuíticas no Brasil. In: PÉCORA, Alcir.. Máquina de gêneros. São Paulo/SP: EdUSP, 2001.

SHIBATA, R. H. O aporte retórico da enunciação: a arte epistolar segundo Erasmo de Rotterdam. Revista Philologus, ano 13, n. 38, Rio de Janeiro/RJ: CiFEFiL, Maio/Agosto, 2007.

Downloads

Publicado

02.10.2022

Como Citar

Casella, C. A. de O. (2022). As Cartas jesuíticas e os gêneros do discurso. DISCURSIVIDADES, 11(2), e1122209. Recuperado de https://revista.uepb.edu.br/REDISC/article/view/1015