Entre fakes e fatos: efeito Pinóquio no discurso mobilizado pelo presidente Bolsonaro na ONU

Autores

Palavras-chave:

Efeitos de sentido; Discurso político; Formação discursiva; Fake news.

Resumo

Promovemos, neste trabalho, uma análise discursiva de uma charge política acessada no dia 27 de setembro de 2021 do site humor político, que faz referência a três recortes com três enunciados que o presidente Bolsonaro fez na (Organização das Nações Unidas (ONU). Tais enunciados contendo Fake News, foram divulgados no dia 21/09/2021, pelo site G1. Para isso, analisamos também três recortes com três enunciados que o presidente fez na ONU, contendo Fake News, que foram divulgados no dia 21/09/2021, pelo site G1. Assim, por meio das concepções teóricas e metodológicas da Análise Materialista do Discurso, de vertente pecheuxtiana, buscamos analisar a posição-sujeito, o interdiscurso e as formações discursivas e imaginárias que, inscritas na historicidade constitutiva nos permitem observar como o presidente Bolsonaro se distancia dos fatos e se aproxima de inverdades, para fazer circular Fake News, mobilizando efeitos de sentido do personagem Pínóquio, criado pelo autor Carlo Collodi, personagem que se tornou conhecido pela proliferação de mentiras. Para tal, ancoramo-nos nos estudos de Pêcheux ([1969] 2014, 1999, 2008, 2009, 2014), na França, de Orlandi (1998, 2007a, 2007b, 2012a, 2012b, 2012c, 2012d, 2013, 2017) no Brasil e demais estudiosos, para promovermos um gesto de leitura e interpretação de como o discurso mobilizado pelo presidente Bolsonaro funciona carregado de mentiras, produzindo  deslocamentos, como unidade de sentido em relação à atual conjuntura do Brasil.

Biografia do Autor

Dalexon Sérgio da Silva, UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PERNAMBUCO

Pós-doutor e Doutor em Ciências da Linguagem pela UNICAP  com  Doutorado-sanduíche  no  Exterior. Pesquisador do Centro de Literaturas e Culturas Lusófonas e Europeias da Universidade de Lisboa - Portugal.  Investigador da  Cátedra Infante Dom Henrique para os Estudos  Insulares  Atlânticos e a  Globalização,  pela Universidade Aberta de Lisboa-Portugal. Membro do grupo de pesquisa do CNPq: Discurso, Sujeito e Sociedade.

Maria Do Carmo Gomes Pereira Cavalcanti, PREFEITURA DA CIDADE DO RECIFE

Doutora em Ciências da Linguagem pela Universidade Católica de Pernambuco. 

Referências

ALCOTT, H.; GENTZKOW, M. Social media and fake News in the 2016 election. Journal of economic. Perspectives, Nashville, v.31, n.2, p.211- 236, abr-jun, 2017.Disponível em: https://web.stanford.edu/~gent- zkow/research/fakenews.pdf. Acesso em: 27 de setembro de 2021.

ALTHUSSER, L. Ideologia e Aparelhos Ideológicos do Estado. São Paulo: Martins Fontes: Lisboa, 1985.

ALVES, Marco Antônio Souza; MACIEL, Emanuella Ribeiro Malfeld. Internet e Sociedade: O fenômeno da Fake News: definição, combate e contexto, n.1, v.1, 2020. Disponível em: https://revista.internetlab. org.br/wp-content/uploads/2020/02/o-fenomeno-das-fake-news-de- finicao-combate-e-contexto.pdf. Acesso em: 22 de fevereiro de 2022.

CAMARGO, C. M. dos S. Memória discursiva e Análise do Discurso na perspectiva pecheuxtiana e sua relação com a memória social. Saber Humano. Revista científica da Faculdade Antônio Meneghetti, v.9. n.4, 2019, p.167-181. Disponível em: https://saberhumano.emnuvens.com. br/sh/article/view/341/405. Acesso em: 24 de setembro de 2021.

CAZARIN, A. E. Interlocução discursiva: a afirmação funcionando como negação. In:ERNST-PEREIRA, Aracy; FUNCK, Suzana B. A lei- tura e a escrita como práticas discursivas. Pelotas: Educat, 2001. Dispo- nível em: http://www.leffa.pro.br/tela4/Textos/Textos/Livros/Leitu- ra_e_a_Escrita.pdf. Acesso em: 24 de setembro de 2021.

CHARAUDEAU, P. Discurso político. Tradução de Fabiana Komisu e Dilson Ferreira da Cruz. 2 ed. São Paulo: Contexto, 2015.

FRANCHINI, A. S.; SEGANFREDO, C. As 100 melhores histórias da mitologia. Deuses, heróis, monstros e guerras da tradição greco-roma- na. FNDE, 2006.

FERREIRA, E. S. O discurso da mídia e seus jogos: questões sobre o silenciamento e a representação do outro. Mestrado em linguística (Dissertação). Recife:UFPE,2015. https://www.pgletras.com.br/_do- cumentos/acervo/dissertacoes/2015/linguistica/Erasmo_da_Silva_ Ferreira.pdf. Acesso em 23 de setembro de 2021.

FREUD, Sigmund. Obras Completas. Rio de Janeiro: Imago, 1976.

GADET, F; HAK, T. (orgs) (2014). Por uma análise automática do dis- curso. Uma introdução à obra de Michel Pêcheux. 5 ed. Campinas, SP: Editora da Unicamp,2014.

INDURSKY, F. A fala dos quartéis e as outras vozes. 2ed. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2013.

INDURSKY, F.; MITTMANN, S.; FERREIRA, M. C. L. Memória e histó- ria na/da análise do discurso. In: INDURSKY, F. A memória na cena do discurso. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2011, p. 67-89.

INDURSKY, F. Da interpelação à falha no ritual: a trajetória teórica da noção de formação discursiva. In: BARONAS, R. L. Análise do dis- curso: Apontamentos para uma história da noção-conceito de formação discursiva. 2ed. Revisada e ampliada. São Carlos, SP: Pedro & João Edi- tores, 2011, p.77-90.

LACAN, Jacques. Os escritos. Tradução de Vera Ribeiro. Revisão de Angelina Harari. Rio de Janeiro: Jorge Zahar [1966], 1998

LACAN, Jacques. As formações do inconsciente. Livro 5. Tradução Vera Ribeiro. Versão final Marcus André Vieira. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, [1957-1958], 1999.

ORLANDI, E. P. Discurso e argumentação: um observatório do polí- tico. Disponível em: file:///C:/Users/PMRecife/Downloads/6915-Tex- to%20do%20Artigo-20890-1-10-20080923%20(1).PDF. Acesso em 30 out. de 2020. p. 1-9.

ORLANDI, E. P. As formas do silêncio: No movimento dos sentidos. 6ed. Campinas, SP: Editorada Unicamp, 2007.

ORLANDI, E. P. Terra à vista: Discurso do confronto velho e novo mundo. 2ed. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2008.

ORLANDI, E.P. Interpretação: Autoria, leitura e efeitos do trabalho simbólico. 6ed. Campinas, SP: Editora Pontes, 2012a.

ORLANDI, E. P. Discurso e leitura. 9. ed. São Paulo: Cortez, 2012b. ORLANDI, E.P. Discurso em análise: Sujeito, sentido, ideologia. 2. ed.

Campinas, SP: Pontes Editores, 2012c.

ORLANDI, E. P. A questão do assujeitamento: um caso de determina- ção histórica. Disponível em: https://www.comciencia.br/comciencia/ handler.php?section=8&edicao=26&id=296. Acesso em: 02 agosto de 2021.

ORLANDI, E. P. Análise de Discurso: Princípios e Procedimentos. 11ed. Campinas, SP: Pontes Editores, 2013.

ORLANDI, E.P. Discurso e texto: Formulação e circulação dos senti- dos. 4 ed. Campinas, SP: Pontes Editores, 2012d.

ORLANDI, E.P. Eu, Tu, Ele: Discurso e real da história. 2. ed. Campi- nas, SP: Pontes Editores, 2017.

PATRIOTA, K. R. M.; TURTON, A.N. Memória discursiva: sentidos e significações nos discursos religiosos da TV. Ciências & Cognição, v1, Rio de Janeiro, 2004. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo. php?script=sci_arttext&pid=S1806-58212004000100003. Acesso em: 24 de fevereiro de 2022.

PÊCHEUX, M. Análise automática do discurso (AAD-69). In: GADET, F; HAK, T. (orgs) (2014). Por uma análise automática do discurso. Uma introdução à obra de Michel Pêcheux. 5 ed. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2014.

PÊCHEUX, M. O estranho espelho da Análise do Discurso. In: COUR- TINE, Jean-Jacques. O discurso comunista endereçado aos cristãos. São Carlos, SP: EduFscar, 2009.

PÊCHEUX, M. O discurso: Estrutura ou acontecimento. Tradução: Eni p. Orlandi. 5ed. Campinas, SP: Pontes, 2008.

PÊCHEUX, Michel. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Tradução: Eni Pucinelli Orlandi et al. 4ed. Campinas, SP: Edito- ra da Unicamp, 2009.

PÊCHEUX, M.; FUCHS, C. A propósito da análise automática do dis- curso: atualização e perspectivas (1975). In: GADET, F; HAK, T. (orgs) (2014). Por uma análise automática do discurso. Uma introdução à obra de Michel Pêcheux. 5 ed. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2014.

PÊCHEUX, M. Papel da memória. In ACHARD, Pierre et al. Papel da memó- ria. Tradução introdução: José Horta Nunes. Campinas, SP: Pontes, 1999.

RIBEIRO, M. M.; ORTELLATO, P. O que são e como lidar com as notí- cias falsas. SUR: Revista Internacional de Direitos Humanos, São Pau- lo, v.15, n.27, p.71-83, 2018.

SILVA, Dalexon Sérgio da. LGBT (Q de Queiroz): deslizamentos de sen- tido em efeitos metafóricos no discurso do deputado Eduardo Bolsona- ro no Twitter. Diálogo das Letras, pau dos ferros, v.9, p.1-16, 2020 Dis- ponível em: http://natal.uern.br/periodicos/index.php/DDL/article/ view/2491. Acesso em: 24 de setembro de 2021.

Sites consultados

Fake News e negacionismo em tempos de pandemia: Entrevista com Ivan Paganotti.(por Marco Serelle com colaboração de Carolina Casse- se) https://blogfca.pucminas.br/ccm/fake-news-e-negacionismo-em- -tempos-de-pandemia-entrevista-com-ivan-paganotti/. Acesso em 25 de setembro de 2021

PINÓQUIO. Disponível em: https://escola.britannica.com.br/artigo/ Pin%C3%B3quio/483465. Acesso em: 25 de setembro de 2021.

Queimadas na Amazônia impactam 90% das espécies de animais e plan- tas na floresta. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/ambien- te/2021/09/queimadas-na-amazonia-impactam-90-das-especies-de-ani- mais-e-plantas-da-floresta.shtml. Acesso em: 25 de setembro de 2021.

Revista Linguagem. Estudos e Pesquisas. BRASIL, Luciana Leão. Mi- chel Pêcheux e a teoria da análise de discurso: desdobramentos im- portantes para a compreensão de uma tipologia discursiva, Goiás v.15, n.1, 2011p171-182Disponível em:file:///C:/Users/Carminha/Downlo- ads/32465-Texto%20do%20artigo-136767-1-10-20141023%20(2).pdf. acesso em: 21 de fevereiro de 2022.

Downloads

Publicado

05.03.2022

Como Citar

Silva, D. S. da, & Cavalcanti, M. D. C. G. P. (2022). Entre fakes e fatos: efeito Pinóquio no discurso mobilizado pelo presidente Bolsonaro na ONU . DISCURSIVIDADES, 10(1), e1012204. Recuperado de https://revista.uepb.edu.br/REDISC/article/view/962