O gênero meme e o ensino de leitura: construindo sentidos, oportunizando conhecimento

Autores

Palavras-chave:

Análise do Discurso, Memes, Ensino de Língua Portuguesa, Leitura discursiva

Resumo

Proporcionar o ensino de línguas na perspectiva dos gêneros discursivos difundida pela Análise Dialógica do Discurso (Círculo de Bakhtin) corresponde a oferecer experiências didáticas que façam os alunos compreenderem os usos efetivos da língua em seus contextos de vida verbal. Sob esta ótica, o presente trabalho contempla o gênero discursivo meme virtual como possibilidade pedagógica nas aulas de Língua Portuguesa, especificamente no que diz respeito ao contexto de ensino e de aprendizagem da leitura no ensino médio. Sendo assim, levantamos a seguinte questão-problema: como uma abordagem de memes, em âmbito de planejamento docente, pode contribuir para o ensino e aprendizagem de leituras dialógicas no ensino médio? Diante dessa problemática, o objetivo geral deste trabalho é oferecer uma proposta didática que comporta o uso do gênero em questão para aulas de leitura. Os memes selecionados para o corpus de análise tratam de questões sociais e políticas ocorridas em 2017. Por se tratar de uma proposta didática, do ponto de vista dos resultados, o trabalho contribui com reflexões que fomentam discussões sobre a relação entre teorias do discurso e o contemporâneo ensino de Língua Portuguesa, na perspectiva de formar professores e alunos do ensino médio, cada vez mais, críticos e reflexivos.

Biografia do Autor

Raniere Marques, UFPB

Doutorando no Proling - UFPB

Manassés Morais, UFCG

Doutor em Linguística pela Universidade Federal da Paraíba (PROLING/UFPB). Professor de Língua Portuguesa e Linguística na Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) e no Programa de Pós-Graduação em Linguagem e Ensino da Universidade Federal de Campina Grande (PPGLE/UFCG).

Referências

ALMEIDA, M. F. O desafio de ler e escrever na escola: experiências com formação docente. João Pessoa: Ideia, 2013.

BEZERRA, M. A. A escrita em contexto de formação continuada: objeto a aprender e objeto a ensinar. In: SIGNORINI, I. Significados da inovação no ensino de língua portuguesa e na formação de professores. Campinas – SP: Mercado de Letras, 2007, p. 147-170.

BRASIL. Ministério da Educação. Orientações Curriculares para o Ensino Médio: conhecimentos de língua portuguesa. Brasília: Ministério da Educação, 2006.

JURADO, S.; ROJO, R. A leitura no ensino médio: o que dizem os documentos oficiais e o que se faz? In: BUNZEN, C.; MENDONÇA, M. (Orgs.); KLEIMAN, A. Português no ensino médio e formação do professor. São Paulo: Parábola, 2006, p. 37-55.

MAGALHÃES-ALMEIDA, C. Os PCNs e a formação pré-serviço: uma experiência de transposição didática no ensino superior. In: ROJO, R. (Org.) A prática de linguagem em sala de aula: praticando os PCNs. São Paulo: Mercado de Letras, 2000, p. 127-148.

MEDVIÉDEV, P. N. O método formal nos estudos literários: introdução crítica a uma poética sociológica. Tradução de Sheila Grillo e Ekaterina Vólkova Américo. São Paulo: Contexto, 2012.

PADILHA, P. R. Planejamento Dialógico: Como construir o projeto político-pedagógico da escola. São Paulo: Ed. Cortez, 2001.

Downloads

Publicado

01.02.2020

Como Citar

Marques, R., & Morais, M. (2020). O gênero meme e o ensino de leitura: construindo sentidos, oportunizando conhecimento. DISCURSIVIDADES, 6(1), 165–185. Recuperado de https://revista.uepb.edu.br/REDISC/article/view/889