Práticas transidiomáticas em tempos de globalização e superdiversidade: o uso da língua inglesa em propagandas em língua portuguesa

Autores

Palavras-chave:

Práticas transidiomáticas, Linguística Aplicada, Propaganda

Resumo

Diante do processo de globalização e dos grandes fluxos de pessoas, culturas e textos propiciados pelos avanços tecnológicos, o uso de palavras da língua inglesa em propagandas veiculadas em português tornou-se comum. No campo da Linguística Aplicada, tais usos são caracterizados como práticas transidiomáticas (MOITA LOPES, 2013). Este trabalho teve como objetivo coletar, analisar e caracterizar as ocor- rências de práticas transidiomáticas na região do campus da EFLCH em Guarulhos. O corpus foi coletado por meio de fotografias para registro de usos reais de linguagem e depois distribuído em categorias de acordo com os temas. Foi utilizada uma metodologia de pesquisa qualitativa (DENZIN & LINCOLN, 1994) para interpretar os significados desses usos linguísticos com base nos conceitos de transidiomaticidade, superdiversidade e World Englishes. As práticas transidiomáticas no contexto estudado envolveram, em sua maioria, uma ou duas palavras de conteúdo em inglês em textos em português, constituindo usos linguís- ticos híbridos e superdiversos.

Biografia do Autor

Orlando Vian Junior, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)

Doutor e mestre em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem pela PUC-SP. Estágios pós-doutorais na PUC-SP, The Sydney University/Australia e UNICAMP. Email: vian.junior@unifesp.br

Yan Borgens Alcantara

Graduado em Letras/Inglês pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Email: yanborgensalcantara@gmail.com

Referências

ASSIS-PETERSON, Ana Antônia de. Como ser feliz no meio de angli- cismos: processos transglóssicos e transculturais. Trabalhos em Lin- guística Aplicada, Campinas, 47(2), p. 323-340, 2008.

BLOMMAERT, Jan; RAMPTON, Ben. Language and Superdiversity. A position paper. Working Papers in Urban Language and Literacies, paper 70, 2011.

COX, Maria Inês P.; ASSIS-PETERSON, Ana Antônia. The notion of transglossia and the phenomenon of linguistic mestizations in contem- porary societies. Revista da ANPOLL, n. 20, p. 131-151, 2006.

_______. Transculturalidade & Transglossia: para compreender o fe- nômeno das fricções lingüístico-culturais em sociedades contemporâ- neas sem nostalgia. In: Bortoni-Ricardo, Stella M. e Cavalcanti, Marilda C. (orgs.), Transculturalidade, Linguagem e Educação. Campinas, SP: Mercado de Letras, p. 23-43, 2007.

CRYSTAL, David. English as a global language. 2nd edition. Cambrid- ge: Cambridge University Press, 2003.

DENZIN, Norman K.; LINCOLN, Yvonna S. (orgs.). Handbook of Qua- litative Research. Thousand Oaks/California: Sage Publications, 1994.

IANNI, Octávio. Globalização e transculturação. Revista de Ciências Humanas. Florianópolis v.14 n. 20 p.139-170, 1996.JACQUEMET, Marco. Transidiomatic practices: Language and power in the age of globalization. Language & Communication, vol. 25, n. 3, p. 257-277, jul. 2005.

JENKINS, Jennifer. Current perspectives on teaching World Englishes and English as a Lingua Franca. TESOL QUARTERLY, Vol. 40 (1), 159- 181, 2006.

KACHRU, B.B. Standards, codification, and sociolinguistic realism: The English language in the outer circle. In: Quirk, R. and H. Widdow- son (eds.) English in the World: Teaching and Learning the language and the literature. Cambridge: Cambridge University Press, 1985.

KIRKPATRICK, Andy. World Englishes: Implications for international communication and English Language Teaching. Cambridge: Cambrid- ge University Press, 2007.

LUCENA, Maria Inêz Probst; NASCIMENTO, André Marques do. Prá- ticas (trans)comunicativas contemporâneas: uma discussão sobre dois conceitos fundamentais. Revista da ANPOLL, vol. 1, p. 46-57, 2016. Disponível em: https://doi.org/10.18309/anp.v1i40.1014. Acesso em: 17-02-2022.

MOITA LOPES, Luiz Paulo da. Como e por que teorizar o português: recurso comunicativo em sociedades porosas e em tempos híbridos de globalização cultural. In: L.P. da MOITA LOPES. (Org.). O português no século XXI: cenário geopolítico e sociolinguístico. São Paulo: Pará- bola, 2013, p. 101-119.

PINHEIRO, Michelle Soares; ALENCAR, Claudiana Nogueira de. Prá- ticas transidiomáticas na aula de Língua Espanhola: um relato de ativi- dade multimodal na escola pública. Horizontes de Linguística Aplica- da, ano 15, n. 2, 2016, p. 41-69.

SEMECHECHEM, Jakeline Aparecida. Línguas minoritárias e práticas transidiomáticas na internet em tempos de superdiversidade. Lingua- gem em (Re)vista, vol. 11, n. 22. Niterói, jul./dez. 2016, p. 72-85.

______. O multilinguismo na escola: práticas linguísticas em uma co- munidade de imigração ucraniana no Paraná. 2016. Tese (de doutora- do). – Programa de Pós-graduação em Letras. Universidade Estadual de Maringá, Maringá.

SILVA, Julia Izabelle da. Práticas transidiomáticas e ideologias lin- guísticas no rap guarani-kaiowá. Domínios de Lingu@gem, vol. 10 n.4. 2016, p. 1424-1448.

VERTOVEC, Steven. Super-diversity and its implications. Ethnic and Racial Studies, vol. 30, n. 6, p. 1024-1054, 2010.

Downloads

Publicado

08.05.2022

Como Citar

Vian Junior, O., & Borgens Alcantara, Y. (2022). Práticas transidiomáticas em tempos de globalização e superdiversidade: o uso da língua inglesa em propagandas em língua portuguesa. DISCURSIVIDADES, 10(1), e1012211. Recuperado de https://revista.uepb.edu.br/REDISC/article/view/1009