Google Maps e letramentos digitais na aula de inglês: um estudo de caso

Autores

Palavras-chave:

Estágio Supervisionado, Aula de Inglês, Letramentos Digitais, Google Maps

Resumo

Neste trabalho, abordamos as práticas de letramentos digitais (FREITAS, 2010) no ensino fundamental durante o Estágio Supervisionado II em uma universidade pública da Paraíba. Através da aplicação de uma sequência didática (CRISTOVÃO, 2009), utilizamos como foco de estudo e produção o Google Maps. Sendo assim, objetivamos analisar as práticas de letramentos digitais, em relação ao uso do Maps em sala de aula. Esta pesquisa classifica-se como um estudo de caso qualitativo-interpretativista (MOREIRA; CALEFFE, 2008). Na análise, descrevemos como os estudantes interagiram com o website e contrastamos o modelo de panfletos produzidos pelos estagiários com os feitos pelos estudantes. A pesquisa identificou os seguintes aspectos: de um lado, resistência ao uso do Maps em Inglês, além da falta de acesso a instrumentos digitais. Por outro lado, aquisição dinâmica de vocabulário e maior nível de engajamento dos alunos.

Biografia do Autor

Francisco Gabriel Cordeiro da Silva, Universidade Estadual da Paraíba (UEPB)

Mestre em Linguagem e Ensino pela UFCG. Professor de Língua Inglesa vinculado ao Departamento de Letras e Artes da UEPB.

Gabriel Gonçalves Benjamim de Souza, UEPB

Graduando em Letras-Inglês na UEPB

Felipe Barbosa dos Santos, UEPB

Graduado em Letras Inglês pela UEPB.

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Educação Infantil e Ensino Fundamental. Brasília: MEC, 2018. Disponível em: < http://basenacionalcomum.mec.gov.br/>. Acesso em: 20 jun. 2023.

CARMAGNANI, A. Por uma abordagem alternativa para o ensino de leitura: a utilização do jornal na sala de aula. In: CORACINI, M. (org.) O jogo discursivo na aula de leitura: língua materna e língua estrangeira. São Paulo, Pontes, 1995. p. 123-132.

CRISTOVÃO, V. Sequências Didáticas para o ensino de línguas. In: DIAS, R.; CRISTOVÃO, V. (org.). O Livro didático de língua estrangeira: múltiplas perspectivas. Campinas: Mercado de Letras, 2009. p. 305-344.

DOLZ, J.; SCHNEUWLY, B. Genres et progression en expression orale et ecrite. Éléments de réflexions a propos d'une expérience romande. Enjeux, n. 37/38, p. 49-75, 1996.

FREITAS, M. Letramento digital e formação de professores. Educação em revista, v. 26, p. 335-352, 2010. Disponível em: < https://www.scielo.br/j/edur/a/N5RryXJcsTcm8wK56d3tM3t/?format=pdf>. Acesso: 20 jun. 2023.

JENKINS, J. Which pronunciation norms and models for English as an International Language? ELT Journal, v. 52, n. 2, p. 119-126, 1998. Disponível em: < http://dx.doi.org/10.1093/elt/52.2.119>. Acesso em: 03 jan. 2024.

KUMARAVADIVELU, B. Beyond Methods: Macrostrategies for Language Teaching. New Haven and London: Yale University Press, 2003.

MOREIRA, H.; CALEFFE, L. Metodologia da pesquisa para o professor pesquisador. 2a ed. Rio de Janeiro: Lamparina, 2006.

NASCIMENTO, A. O Ensino de língua inglesa sob o viés dos letramentos digitais. In: ZACCHI, V.; STELLA, P. (org.). Novos letramentos, formação de professores e ensino de língua inglesa. Maceió: EDUFAL, 2014, p. 53-73.

NASCIMENTO, A.; SANTOS, G.; SILVEIRA, T. Letramentos digitais e formação inicial de professores: entre ser discente e tornar-se docente. Revista (Con)Textos Linguísticos, v. 13 n. 26, p. 51-64, 2019. Disponível em: <https://periodicos.ufes.br/contextoslinguisticos/article/view/27607>. Acesso em: 03 jan. 2024.

PASQUIER, A.; DOLZ, J. Un decálogo para enseñar a escribir. Cultura y Educación. Madrid, Infancia y Aprendizaje, n. 2, p. 31-41, 1996.

PERRENOUD, P. et al. As competências para ensinar no século XXI: a formação dos professores e o desafio da avaliação. Trad. Cláudia Schilling e Fátima Murad. Porto Alegre: Artmed, 2002.

SANTOS, M. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. 6 ed. Rio de Janeiro: Record, 2001.

SOARES, M. Letramento. Diário do grande ABC, v. 29, p. 3, 2003.

SOUSA JÚNIOR, M. G.; SILVA, F. G. C.; COSTA, M. A. M. O uso de tecnologias digitais no planejamento de professores de inglês em período de estágio supervisionado. Revista Leia Escola, v. 20, n.1, p. 176-188, 2020. Disponível em: < http://revistas.ufcg.edu.br/ch/index.php/Leia/article/view/1766>. Acesso em: 20 dez. 2023.

SOUZA, V. Letramento digital e formação de professores. Revista Língua Escrita, n. 2, p. 55-69, 2007. Disponível em: < https://www.ceale.fae.ufmg.br/files/uploads/revista%20lingua%20escrita/LinguaEsc rita_2.pdf>. Acesso em: 20 jun. de 2023.

Downloads

Publicado

29.03.2024

Como Citar

Silva, F. G. C. da, Gonçalves Benjamim de Souza, G., & Santos, F. B. dos. (2024). Google Maps e letramentos digitais na aula de inglês: um estudo de caso. DISCURSIVIDADES, 14(1), e–1412405. Recuperado de https://revista.uepb.edu.br/REDISC/article/view/3096

Edição

Seção

Artigos

Categorias